Início » Segurança no trânsito: dicas para o mototaxista

Segurança no trânsito: dicas para o mototaxista

Segurança no trânsito: dicas para o mototaxista

O trânsito exige atenção máxima dos mototaxistas, por isso, separamos algumas dicas de segurança.

Segundo relatório divulgado em dezembro de 2018 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), acidentes de trânsito matam cerca de 1,35 milhão de pessoas todos os anos. Os acidentes são, inclusive, a maior causa de morte de crianças e adultos entre 5 e 29 anos. Além disso, o relatório destaca que motociclistas e passageiros são responsáveis por 28% dessas mortes. Ou seja, cerca de 37,8 mil pessoas morreram em acidentes envolvendo motos todos os anos.

Na opinião de Michael Bloomberg, fundador e CEO da Bloomberg Philanthropies e Embaixador Global da OMS para Doenças Não Transmissíveis e Lesões, a segurança no trânsito é uma questão que não recebe nem perto da atenção que merece. Contudo, para os mototaxistas, a preocupação com a segurança deve ser fundamental.

Isso porque, de acordo com um estudo “Retrato da Segurança Viária no Brasil”, o número de mortos em acidentes envolvendo motos triplicou no Brasil. Além disso, o número de feridos quadruplicou. Os números da pesquisa são de 2013.

Falta de atenção, excesso de velocidade, desrespeito à leis e sinalização, imprudência e embriaguez são algumas das causas. Assim, todas são falhas humanas.

Entretanto, erros mecânicos acontecem, mas também podem ser evitados com manutenção e revisão frequentes.

Código de Trânsito Brasileiro

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) tem leis específicas que falam sobre segurança. Uma delas é, justamente, em relação às condições mecânicas da moto.

Art. 27 Antes de colocar o veículo em circulação nas vias públicas, o condutor deverá verificar a existência e as boas condições de funcionamento dos equipamentos de uso obrigatório, bem como assegurar-se da existência de combustível suficiente para chegar ao local de destino.

Ou seja, acidentes gerados por falhas mecânicas e/ou falta de combustível podem ser evitados, na maioria das vezes, caso o mototaxista tenha esses cuidados.

Denatran

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) disponibiliza um Manual de Direção Defensiva em que expõem diversos itens de segurança da moto que devem receber total atenção do mototaxista.

No quarto capítulo, intitulado Veículo, é ressaltado a importância da revisão e da manutenção, uma vez que a moto sofre um desgaste natural pelo uso. 

Como cada modelo é particular, ao comprar sua moto esteja atento ao manual do fabricante. Nele consta quando cada parte deve receber revisão e manutenção.

Equipamentos de segurança

A revista Auto Esporte listou equipamentos fundamentais para segurança ao andar de moto. O destaque principal vai para o capacete. Procure sempre um capacete fechado para uso urbano. Além disso, verifique se o tamanho está correto e se ele fica firme e confortável. Depois, é indicado uma proteção ocular. Óculos escuros tradicionais podem piorar o acidente. Por isso, procure sempre utilizar óculos de proteção com lentes de policarbonato. Eles são resistentes e podem proteger sua visão de objetos que forem arremessados no momento do acidente.

A lista também chama atenção para o calçado. Em nenhuma hipótese pilote de chinelos. No momento da queda, por exemplo, pés e calcanhares são os primeiros lugares a serem atingidos pelo solo e pelo cano de descarga da moto. Opte sempre por botas e coturnos específicos.

A vestimenta completa também é outro ponto de destaque. Calças e jaquetas reforçadas e impermeáveis são importantes. Isso porque em caso de queda, é importante que a roupa não rasgue e te proteja de maiores ferimentos. E na profissão de mototaxista, a chuva sempre é um empecilho. Então, ter calça, jaqueta ou macacão resistente a água ajuda, e muito, nessas ocasiões.

Além disso, acessórios como luvas também são de extrema importância. Isso porque, assim como as roupas e o calçado, protegem e previnem grandes ferimentos, além de, em caso de chuva, facilitarem a direção na chuva.

Equipamentos obrigatórios

Desde 2 de agosto de 2010 existem equipamentos obrigatórios para que a profissão de mototaxista seja exercida. Vale lembrar que a promulgação da Lei nº 12.009/2010 inseriu no Código de Trânsito Brasileiro os serviços de mototáxi e motoboy sob regras gerais.

Isso quer dizer que a Lei determinou medidas obrigatórias para que as profissões sejam regulamentadas, mas ficou a cargo de cada estado fiscalizar o cumprimento da lei e acrescentar novas regras.

Contudo, o uso de equipamentos de segurança obrigatórios foi um dos pontos que devem ser seguidos em todo território nacional.

Assim, para conseguir o registro, os mototaxistas precisam de:

I – dispositivo de proteção para pernas e motor em caso de tombamento do veículo, fixado em sua estrutura, conforme Anexo IV, obedecidas as especificações do fabricante do veículo no tocante à instalação; 

II – dispositivo aparador de linha, fixado no guidon do veículo, conforme Anexo IV;

III – dispositivo de fixação permanente ou removível, devendo, em qualquer hipótese, ser alterado o registro do veículo para a espécie passageiro ou carga, conforme o caso, vedado o uso do mesmo veículo para ambas as atividades. 

Após obter o registro, além dessas especificações que se mantém, outras medidas de segurança são incluídas. São elas:

IV – estar vestido com colete de segurança dotado de dispositivos retrorrefletivos;

Art. 6º Na condução dos veículos de transporte remunerado de que trata esta Resolução, o condutor e o passageiro deverão utilizar capacete motociclístico, com viseira ou óculos de proteção, nos termos da Resolução 203, de 29 de setembro de 2006, dotado de dispositivos retrorrefletivos, conforme Anexo II desta Resolução. 

Art. 7º Além dos equipamentos obrigatórios para motocicletas e motonetas e dos previstos no art. 2º desta Resolução, serão exigidas para os veículos destinados aos serviços de mototáxi alças metálicas, traseira e lateral, destinadas a apoio do passageiro. 

Exercendo a profissão há oito anos, o mototaxista Valcir Rocha acredita que a preocupação com a vestimenta adequada é uma das maiores formas de prevenção de maiores consequências em caso de acidente.

“Quando você anda de moto, estar com uma roupa adequada é uma prevenção porque em caso de acidente você tem grandes chances de não sofrer machucados maiores. Quando está chovendo também, uma boa roupa de chuva te previne bastante. Além disso, a legislação manda que você ande com roupas adequadas para sua segurança. Isso é muito importante”.

Ponto cego

Você sabe o que é ponto cego? Ele pode causar acidentes.

Possivelmente, em algum momento você já foi surpreendido por algum outro mototaxista que apareceu sem que você tenha visto antes, certo? Isso acontece graças ao ponto cego.

O ponto cego nada mais é do que o que o motorista não consegue ver. Isso é normal já que os retrovisores não captam algumas áreas ao redor. A dica é sempre estar atento ao retrovisor e ajustá-lo para que capte o maior campo de visão possível. Isso vai ajudar com o problema, mas não exterminá-lo já que ele afeta todas as motos e veículos.

Lembre-se: assim como o retrovisor da sua motocicleta tem ponto cego, o retrovisor dos carros também tem. Logo, sempre pilote com cautela e em, hipótese alguma, ande entre dois carros. 

Além disso, existem situações em que, mesmo andando atrás do carro, o motociclista pode não ser visto. Quando o retrovisor do carro não está corretamente posicionado, o motorista pode não enxergar a moto, caso ela esteja próxima demais. Por isso, ande sempre a uma distância segura dos veículos da frente e de trás.

Conclusão

Por estarem sobre duas rodas e terem os corpos expostos o tempo todo, os mototaxistas, no geral, ficam mais expostos à insegurança no trânsito. Por isso, preze sempre pela sua segurança, do seu passageiro e de todos os outros envolvidos nas ruas. 

Esteja atento e atenda sempre às normas e equipamentos de segurança exigidas para exercer a profissão, faça manutenção frequentemente e pilote sempre com o máximo de cuidado.

“O básico, que é respeitar as normas de trânsito, é muito importante. E respeitar, também, o pedestre porque ele vem em primeiro lugar. Andar dentro da velocidade permitida naquele local por onde você está passando é importante. No mais, ter respeito pelos outros motoristas e mototaxistas também é fundamental. E estar sempre atento e com a manutenção em dia garante sua segurança e dos outros” finaliza Valcir.

Para acompanhar mais informações do mercado de mototáxi, continue conferindo nosso blog