Início » Quais os melhores setores para empreender em 2020?

Quais os melhores setores para empreender em 2020?

Quais os melhores setores para empreender em 2020?

Quais são os melhores negócios para empreender em 2020? De olho nas tendências de mercado, montamos uma lista para você.

Se você é empreendedor, chegou a data limite para começar a se planejar para empreender em 2020. Afinal, começar um novo negócio exige tempo, organização e dedicação.

Você precisa decidir o segmento, analisar a demanda e os concorrentes, montar estratégias, cotar orçamentos, etc.

Segundo o educador financeiro André Bona, a tecnologia, cada vez mais, “colabora para o aparecimento de novas ideias e necessidades, e quem deseja empreender precisa aproveitar-se disso“.

Sendo assim, vamos listar alguns empreendimentos que, aliados à tecnologia, podem ser boas apostas para 2020.

1- Clubes de assinatura

O mercado de clubes de assinatura é um novo segmento que vem crescendo. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcom), esse mercado cresceu 167% desde 2014. Atualmente, são mais de 800 empresas atuando nesse segmento no Brasil.

O modelo dos clubes de assinatura já é bem conhecido pelos brasileiros. por exemplo, Quando você assina uma revista, paga uma mensalidade e a recebe todo mês já está fazendo parte de um clube.

Com o crescimento do e-commerce, o modelo se popularizou com serviços digitais. Hoje, você pode fazer parte de clubes de livros, vinhos, doces, maquiagens etc.

A lógica é: oferecer alguma exclusividade – descontos, entrega à domicílio, presentes, curadoria – para que o seu cliente prefira assinar o seu clube ao invés de comprar o produto em qualquer outra loja todo mês.

No início do levantamento, em 2014, o faturamento dos clubes de assinatura já somava R$430 milhões. Hoje o mercado já movimenta R$1 bilhão.

2- Marketing digital

O marketing digital é outro setor que vem crescendo mesmo com a crise econômica brasileira. De acordo com a pesquisa IAB Brasil Digital Adspend 2018, só em 2017 o investimento em marketing digital foi de R$14,8 bilhões.

O levantamento mostra, ainda, que a expectativa de crescimento no país até 2021 é 12% ao ano. Uma vez que 73% dos usuários da internet fazem pesquisas antes de comprar um produto, investir em marketing digital é fundamental para criar autoridade no assunto, relevância nos resultados das ferramentas de busca e uma boa imagem da empresa ou serviço.

pesquisa Interactive Advertising Bureau analisou que, somente em 2015, 3,9 bilhões de dólares foram investidos em sites de busca como Google, Bing e Yahoo. Outros 721 milhões foram divididos em campanhas, inbound marketing, e-mail marketing e outras estratégias de marketing digital.

Além disso, dentro de uma consultoria de marketing digital existem vários nichos que possibilitam um grande leque de clientes. Você pode fazer o marketing digital de sites e e-commerce, produtos e serviços, artistas, instituições, etc.

Sendo assim, investir no setor é uma ótima opção. Antes de ter uma sede fixa, você pode começar trabalhando com freelancers trabalhando de casa e investir mais, neste primeiro momento, na aquisição de clientes.

3- Economias compartilhadas

Você já ouviu falar em economia compartilhada? Talvez o termo não seja tão familiar, mas você conhece bem empresas que trabalham neste formato.

iFood, Yellow, AirBnB, por exemplo, são empresas de economia compartilhada. O segmento é formado por empresas que compartilham bens e serviços de forma mais econômica e sustentável.

De acordo com a consultoria PwC, o setor deve movimentar US$335 bilhões em todo o mundo até 2025. O valor é 20 vezes maior ao levantado em 2014.

Você pode alugar carros ou bicicletas, pode conectar pessoas que alugam quartos a quem busca hospedagem, pode conectar cuidadores de animais com quem não quer deixar seu pet sozinho, pode criar um brechó de roupas, sapatos, acessórios e livros, etc.

4- Mobilidade urbana

Por último, um setor que, aliado à tecnologia, é muito promissor é o da mobilidade urbana. Ainda seguindo o conceito de economia compartilhada, aplicativos de transporte podem ser a solução para cidades que não tem Uber, 99 e Cabify ou que o transporte público é ineficiente.

Segundo pesquisa divulgada pela Mobile Time, 80% dos usuários brasileiros tem a Uber como principal aplicativo. Em segundo lugar, está a 99 com 17% dos usuários.

Contudo, apesar do número expressivo de usuários, a norte-americana não está presente nem em 10% das cidades brasileiras.

Sabendo que 90% das cidades do Brasil não tem Uber, surge aí um enorme mercado para empreender.

Mas, além disso, já pensou que em algumas cidades além de não existir Uber também não existe transporte público?

São cidades inteiras sem ônibus, táxis, trens, barcos, vans, metrôs ou aviões. Não há nem mesmo ônibus que realizam viagens intermunicipais.

Assim, aproximadamente 200 mil brasileiros dependem exclusivamente de veículos próprios ou do serviço dos mototaxistas.

Nesse cenário, além de uma ótima oportunidade para empreender em 2020, aí está uma grande chance de impactar positivamente a vida de milhares de pessoas e, consequentemente, contribuir para o desenvolvimento econômico e social do país.