Início » Os principais dados do último balanço da Uber

Os principais dados do último balanço da Uber

foto de papeis com desenhos de gráficos

Recuperação de corridas, avanço do delivery e escassez de motoristas. Veja o que podemos destacar dos principais dados do último balanço da Uber.

Como noticiamos nas notícias da semana do mercado da mobilidade urbana, a Uber anunciou no dia 04 de agosto, o fechamento do seu balanço do 2º Trimestre do ano.

Por ser uma empresa de capital aberto, ou seja, listada na Bolsa de Valores, a Uber divulga regularmente dados financeiros e operacionais publicamente em seu site para investidores, o investor.uber.com.

Muitos portais de notícias publicaram o acontecimento sob diversos lados, alguns positivos e outros negativos.

A CNN Brasil, por exemplo, destacou o aumento do prejuízo da empresa, que subiu a US$ 509 milhões no 2º trimestre.

Já o Valor Investe colocou como destaque o lucro que a empresa alcançou no período, cerca de US$ 1,14 bilhão.

Fato é que o documento é extenso e contém muitas informações técnicas da operação da empresa.

Mas, afinal, quais são os principais dados que esse balanço nos mostra?

US$ 21 bilhões movimentados na plataforma

No 2º trimestre de 2020, somado todo o dinheiro movimentando em todas as operações da Uber no mundo, seja com transporte de passageiros, entregas e frete de caminhão, a empresa movimentou cerca de US$ 10 bilhões.

Um ano depois, com o avanço da vacinação no mundo, a empresa movimento aproximadamente US$ 21 bilhões, cerca de 114% a mais do que no mesmo período do ano anterior.

Dos US$ 21 bilhões movimentados, US$ 8,6 bilhões foram na operação de transporte de passageiros, US$ 12,9 bilhões com delivery e US$ 348 milhões com frete.

O crescimento percentual de cada operação em relação ao mesmo período do ano anterior foi de 184% no transporte de passageiros, 85% no delivery e 64% no frete.

10% do dinheiro transacionado na plataforma de transporte de passageiros foi em viagens que começaram ou terminaram em aeroportos, representando um crescimento de 67% em relação ao trimestre anterior e de incríveis 617% em relação ao período do ano anterior.

Na época do IPO da empresa, em 2018, a Uber revelou que 15% de suas corridas começavam ou terminavam em aeroportos.

US$ 4 bilhões em receita

O balanço da empresa também revelou um crescimento na receita, ou seja, a parte que a Uber recebeu por sua operação.

Segundo os dados, a empresa alcançou US$ 3,93 bilhões em receita no 2º trimestre, um crescimento de 105% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Dividindo a receita por cada uma das operações, tivemos que o Delivery foi responsável por US$ 1,96 bilhão, crescimento de 122% em relação ao período do ano anterior, o transporte de passageiros recebeu US$ 1,62 bilhão, crescimento de 106%, e o frete com receita de US$ 348 milhões, crescimento de 65% em relação ao 2º trimestre de 2020.

Lucro líquido de US$ 1,1 bilhão, mas prejuízo de US$ 509 milhões

A Uber anunciou que graças a investimentos realizados na Didi, empresa chinesa dona da 99, e na Aurora, empresa de veículos autônomos, a empresa alcançou um lucro líquido de US$ 1,1 bilhão no período.

No entanto, levando em conta juros, impostos, depreciação e amortização, o prejuízo da Uber foi de US$ 509 milhões no período.

1,5 bilhão de viagens e entregas

Outro dado importante que o balanço revelou foi o de que a Uber realizou aproximadamente 1,5 bilhão de viagens e entregas no 2º Trimestre de 2021.

O crescimento foi de 105% em relação ao mesmo período de 2020, quando a empresa realizou 737 milhões de viagens.

101 milhões de consumidores ativos mensais

A empresa alcançou 101 milhões de consumidores ativos na plataforma mensalmente, um crescimento de 84% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando 55 milhões de consumidores ficaram ativos.

A Uber explica que um consumidor ativo é um usuário que tenha usado qualquer serviço da Uber pelo menos uma vez em cada um dos meses do trimestre.

US$ 72 por mês em média gasto por cada usuário

Segundo a empresa, cada um dos 101 milhões de consumidores da plataforma gastaram em média US$ 72 na Uber, seja com transporte ou com delivery.

Isso representou um aumento de US$ 10 em relação ao mesmo período do ano anterior e de US$ 6 em relação ao 1º Trimestre.

Cada usuário utilizou a plataforma, em média, 5 vezes.

US$ 307 milhões de receita na América Latina

A América Latina, que inclui o Brasil, foi responsável por US$ 307 milhões da receita da Uber.

A empresa não fez a separação geográfica por país ou por continentes, mas sim por blocos.

Além da América Latina, a Uber divulgou que a região que mais trouxe receita para a empresa foi Estados Unidos e Canadá, com US$ 1,99 bilhão, seguido por Europa, Oriente Médio e África (US$ 929 milhões) e Ásia-Pacífico (US$ 709 milhões).

Motoristas e entregadores ganharam ao todo US$ 7,9 bilhões

Outro dado chave do balanço foi em relação ao repasse para os motoristas e entregadores.

Segundo a empresa, foram repassados ao todo US$ 7,9 bilhões para os profissionais que trabalham na plataforma, 144% a mais do que no mesmo período do ano anterior.