Início » O motorista Uber pode perguntar o destino?

O motorista Uber pode perguntar o destino?

Motorista no veículo olhando para o passageiro no banco de trás.

Sim, o motorista da Uber pode perguntar o destino para o passageiro via chat, mas deve prestar atenção na taxa de cancelamento.

Publicado em 03/05/2019 – Atualizado em 15/10/2021

A segurança é uma das maiores preocupações dos motoristas de aplicativo.

Afinal de contas, estamos falando de uma profissão que exige lidar diariamente com pessoas desconhecidas, além de circular por áreas que são consideradas perigosas.

Como a Uber ainda não libera as informações detalhadas sobre o destino do passageiro para todas as operações do país, muitos motoristas ficam na dúvida de como saber para qual local estão indo.

Não consta no Código da Comunidade Uber nada que impeça o motorista contatar via chat o passageiro e, de forma educada, perguntar qual o destino da viagem.

Além disso, segundo o nosso parceiro Fernando Floripa, em vídeo publicado no seu canal em julho de 2019, o suporte da empresa informou via chat com o motorista que a prática é permitida.

Segundo a mensagem exibida, o suporte apenas recomendava que todas as viagens aceitas fossem realizadas. Afinal, a empresa quer atender da forma mais ágil possível os passageiros dela.

O único ponto do Código da Comunidade que exige atenção neste quesito está no item discriminação.

Segundo a empresa, é proibido discriminar usuários do app da Uber ou do Uber Eats com base no destino ou local de entrega.

Sabemos que é importante poder decidir quando fazer entregas ou dirigir pelo app da Uber. Portanto, não é uma violação destas diretrizes recusar uma viagem ou entrega porque não funciona para você. No entanto, é proibido recusar ou cancelar solicitações intencionalmente ou usar recursos da Plataforma da Uber para deixar de receber solicitações de viagem ou de entrega com a finalidade exclusiva de evitar regiões específicas, devido às características das pessoas ou empresas presentes nesses locais.

Código da Comunidade Uber

Dessa forma, se você entende que determinada região pode ser arriscada para você, não aceite a viagem. Fique OFF e dirija para uma outra região. Evite cancelar muitas corridas para determinado local em sequência.

Como perguntar o destino aos passageiros?

  • Olá, [Nome do passageiro]. Tudo bem? Aqui é o [Seu nome]. Por gentileza, poderia confirmar nosso destino final?
  • Olá, [Nome do passageiro]. Tudo bem? Aqui é o [Seu nome] e já estou a caminho do nosso ponto de embarque. Poderia me confirmar se estamos indo para [Nome de uma rua da região]?
  • Olá, [Nome do passageiro]. Tudo bem? Eu sou o [Seu nome], seu motorista da rodada. No momento, o aplicativo ainda não me informa o nosso destino, para que eu possa acrescentar no GPS e encontrar a melhor rota, poderia confirmar nosso ponto final?

Dicas gerais

  • Se a viagem não funciona para você, cancele imediatamente, não fique esperando o passageiro cancelar ou você pode acabar infringindo o código da empresa;
  • Seja gentil ao questionar o passageiro sobre o destino final;
  • Eduque os passageiros. Explique que os motoristas entendem que todos merecem ter um transporte, mas que há locais em que vocês são ameaçados pela insegurança.

Segurança ainda é desafio para aplicativos e Uber reconhece problemas com segurança

Em Junho deste ano, o Fantástico exibiu uma matéria que indicava o aumento dos casos de violência contra motoristas de aplicativo.

Além disso, em 2019, no relatório entregue para a abertura de capital da empresa, a Uber reconheceu os problemas que ela enfrenta com os casos de violência contra os motoristas.

Segundo a empresa, no Brasil, assim como em outros países da América do Sul, da Europa, do Oriente Médio e da África, é permitido o pagamento em dinheiro e isso, apesar de incluir populações não bancarizadas, tem aumentado os riscos de segurança.

A empresa revelou que no Brasil sérios incidentes de segurança têm resultado em roubos e assassinatos de motoristas. “Se não soubermos resolver essas questões, sofremos um grave impacto na nossa reputação e como consequência, no nosso negócio”.

O que os aplicativos podem fazer?

Não permitir que o motorista veja o destino esbarra na liberdade dele escolher para onde quer ir.

E, principalmente, manter a sua própria segurança.

Outros apps já permitem que o motorista saiba o destino final, como a 99.

Em alguns locais, a própria Uber já apresenta mais informações sobre o destino final dos passageiros, ferramenta conhecida como U-Destino.

No Brasil, a ferramenta começou em fase de testes em:

  • Manaus;
  • São José dos Campos;
  • Recife;
  • Curitiba.

O U-Destino fornece informações mais completas sobre o ponto de desembarque escolhido pelo passageiro. Nome da rua e número do endereço, bairro, cidade, estado, CEP e país serão alguns dos dados presentes.

São informações muito mais ricas e precisas em comparação com o modelo de destino atual, que só informa a cidade, a região e o bairro.

Esses dados serão exibidos na tela de chamado, que já conta com a opção de aceitar ou recusar a corrida e a nota em estrelas do passageiro.

Já nos aplicativos desenvolvidos pela plataforma da Machine, o gestor pode escolher habilitar a visualização do destino final, além de saber quantas corridas o passageiros já realizou pelo aplicativo.

E você? Acha que os aplicativos devem permitir que o destino final seja visível?