À esquerda, homem de terno com tablet na mão. À direita está escrito: Brasil é o segundo maior mercado da Uber no mundo

Brasil é o segundo maior mercado da Uber no mundo

Ao entrar com documentação na bolsa de valores são revelados os números da Uber no país.

A Uber entrou na semana passada com documentação para realizar seu processo de IPO. Ou seja, a empresa passará a comercializar suas ações na bolsa de valores de Nova Iorque.

No ano passado, o banco Morgan Stanley, coordenador do processo, avaliou a empresa em 120 bilhões de dólares.

No entanto, segundo texto da jornalista Daniela Milanese para Bloomberg, o valor é 20 bilhões de dólares mais modesto. Porém, os números ainda impressionam.

A expectativa de captação na primeira rodada de negociação tem previsão de arrecadar 10 bilhões de dólares. Isso tornaria o IPO da empresa o principal do ano e um dos maiores da história dos EUA.

Números da Uber no Brasil

A Uber não costuma divulgar dados muito precisos como números de corridas e faturamento.

Até então, sua principal fonte de notícia estava em seu site oficial.

Com a última atualização em setembro de 2018, a página Fatos e Dados da Uber revelava que a empresa tinha no Brasil 600 mil motoristas cadastrados.

Além disso, haviam 22 milhões de usuários aptos a solicitar corrida no país.

Em 2017, a Uber já havia dado indícios de que o Brasil é um dos seus principais mercados. Isso porque a multinacional revelou que São Paulo havia ultrapassado, em 2016, a Cidade do México, tornando-se a cidade com maior número de corridas no mundo.

Porém, com a abertura de capital, a multinacional precisou revelar dados até então secretos.

Entre estes dados, está a confirmação que o Brasil é o segundo principal mercado da Uber no mundo. Em 2018, a empresa faturou aproximadamente 3,7 bilhões de reais com a operação no país.

O valor só é menor do que o faturamento da empresa no próprio Estados Unidos. Além disso, os dados mostraram um crescimento impressionante da empresa no país nos últimos anos. Houve um aumento de 306% em relação a 2016 e de 15% em relação a 2017.

E não foi só isso. Os números da Uber revelaram que São Paulo está entre as quatro regiões metropolitanas responsáveis por 24% do faturamento com transporte. Ao lado de Nova Iorque, São Francisco, Los Angeles e Londres, São Paulo impulsiona o faturamento da multinacional.

Segurança e impostos

Duas informações divulgadas pela Uber em seu relatório chamam atenção quando diz respeito a atuação no Brasil.

Uma é em relação à preocupação da empresa com os casos de violência ocorridos em sua operação no país.

Segundo o relatório, em certos locais como o Brasil, sérios incidentes de insegurança estão resultando roubos e até assassinatos de motoristas da Uber. “Se não formos capazes de resolver adequadamente essas questões, poderemos sofrer um sério abalo na nossa reputação, o que prejudicaria os negócios”.

Em relação aos impostos, a Uber pretende investir todos os ganhos no próprio país em que a operação foi realizado. Com exceção do Brasil, onde ganhos acima de 500 milhões de dólares poderão ser reinvestidos indeterminadamente. A empresa não deixou claro o porquê dessa decisão.

Há ainda muito espaço para crescer

Segundo o CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, a Uber ainda tem muito espaço para crescer.

Na carta anexada junto com o relatório, o CEO relata que menos de 1% das milhas dirigidas no mundo foram feitas pela Uber. Além disso, apenas uma pequena parcela das populações dos países em que a empresa atua utilizam o app.

Assim, como a empresa é uma principais do ramo da mobilidade urbana, isso significa que o setor ainda tem muito espaço para ser explorado.

No Brasil não é diferente. Apesar da Uber e da 99 liderarem esse mercado, uma nova gama de apps regionais está aparecendo com o objetivo de preencher importantes lacunas deixas pelas multinacionais.

É o caso do Rotas Brasil, que em poucos meses de atuação na cidade de Porto Velho já conta com quase 40 mil corridas solicitadas no mês.

Assim, os apps regionais buscam atender nichos que acabam sendo esquecidos pelos apps. Mostrando que esse gigantesco mercado ainda tem muito espaço para crescer.

Confira aqui o documento completo com as informações da Uber.