Início » Mobees paga motoristas cariocas por propaganda em veículo

Mobees paga motoristas cariocas por propaganda em veículo

Veículo preto com propaganda da Mobees.

A Mobees é uma empresa carioca que instala propagandas em veículos de aplicativo, remunerando o motorista pela atividade.

Renda extra é uma palavra-chave na vida de boa parte dos motoristas de aplicativo.

Mas como conseguir uma renda extra com uma carga horária cada vez mais apertada?

Para os motoristas do Rio de Janeiro, a Mobees surge como uma opção.

A empresa carioca instala painéis de propaganda em veículos de aplicativo e remunera o motorista quando ele atinge uma carga horária mínima.

Fundada pelos sócios Flávia Coelho, José Lyra Junior e Fábio Barcellos, a Mobees está no mercado desde julho de 2020.

Fundadores da Mobees
Foto: Mobees/Reprodução

A história da Mobees

Sócios de longa data, José Lyra Júnior e Fábio Barcellos se conheceram na MHW, empresa de informática que foi vendida para a gigante norte-americana Xerox no início dos anos 2000.

Já Flávia, conheceu Fábio enquanto trabalhava com a gestão de produtos digitais da Affero Lab, empresa de educação corporativa fundada por ele.

Em 2018, um conglomerado de mídia da Alemanha, a Bertelsmann, comprou a Affero Lab.

“Naquele momento, eu estava com muita vontade de começar a empreender e conversando com o Fábio, que já estava de saída da empresa, resolvemos validar algumas ideias que tínhamos (…) o Júnior se junto a gente e após muitas conversas e validações, chegamos no modelo da Mobees”, explica Flávia.

A empresária explica que a recepção dos motoristas foi de cara muito positiva. “A realidade do motorista é que eles precisam de renda extra sem ter que trabalhar mais, pois já trabalham uma quantidade muito grande de horas e o nosso modelo permite que isso aconteça”.

Por outro lado, não demorou muito para os anunciantes ficarem interessados com a empresa, fazendo com que os investidores logo entrassem firme na Mobees. Já em sua primeira rodada de investimento, a empresa conseguiu captar R$ 5 milhões.

Os pré-requisitos para se cadastrar na Mobees

  • Morar e rodar no município do Rio de Janeiro;
  • Ter 21 anos ou mais;
  • Boa nota nos aplicativos;
  • Ser motorista há mais de 1 ano;
  • Ter carro próprio;
  • Ter um carro de modelo compatível, a empresa evita cadastrar carros mais altos e tem preferência por veículos a partir de 2014. Também é necessário que o rack seja compatível com o veículo;
  • Estacionar o carro em locais cobertos durante a noite;
  • Ter conta em banco.

Nem todos os itens são eliminatórios, como é o caso da qualidade do veículo, mas servem como critério para a escolha de um motorista.

Em relação aos veículos alugados, a Mobees não cadastra veículos deste tipo e orienta que o motorista utilize, no máximo, o carro de algum conhecido.

A empresa também não instala o aparelho em carros de frotas, já que a missão é gerar renda direto para os motoristas.

Como me cadastrar na Mobees e como é o dia a dia do trabalho?

A empresa tem um canal para receber motoristas interessados: mobees.com.br/cadastro.

Assim que ele preenche o formulário, o motorista deve baixar o aplicativo. É por lá que acontece toda a operação da empresa, desde a avaliação do perfil, seleção, envio de documentação e suporte.

Por meio do aplicativo, o motorista consegue fazer uma avaliação de perfil para ver o quão bem avaliado ele está para se tornar um motorista da Mobees. “Não funciona como uma fila de espera, mas ele vai entender quais são as chances que ele realmente tem de se tornar um parceiro da Mobees. Por exemplo, se tiver um carro alugado, nós vamos falar que isso diminui as chances dele”, explicou Flávia.

Carro cadastrado pela Mobees
Foto: Reprodução/Instagram

Quando abre uma vaga, a empresa pede que o motorista envie a documentação. Estando tudo ok, a empresa envia o contrato de parceria para o profissional e chama o motorista até a garagem da empresa, em que eles realizam a instalação.

As novas vagas surgem em duas situações: substituição ou expansão de frota.

“O aplicativo fica sempre à disposição do motorista que realizou o cadastro. Assim, se ele comprou um veículo novo ou adquiriu um carro próprio, ele pode atualizar o cadastro e ter mais chances de ser chamado”.

Com o equipamento instalado, o motorista precisa rodar 80h com o aparelho quinzenalmente para ganhar a remuneração, que varia de R$ 500 a R$ 1.000.

Os ganhos não têm relação com o tempo a mais que o motorista roda. Cada hora extra vale uma ficha para um sorteio realizado pela empresa com prêmios como ingressos para teatro, combustível, etc.

Segundo Flávia, a variação da remuneração do motorista é de acordo com a quantidade de anúncios pagos que a empresa consegue realizar.

Atualmente, a Mobees conta com 200 veículos cadastrados.

Sem previsão, empresa pretende expandir para outros locais

A Mobees nasceu e, por enquanto, atua exclusivamente no município do Rio de Janeiro. Até mesmo quando atravessa a ponte e vai para a cidade de Niterói, os motoristas precisam desabilitar os anúncios e exibir um relógio virtual.

“Começamos por aqui pois o maior mercado do setor, a cidade de São Paulo, tem alguns bloqueios em relação a Lei Cidade Limpa [lei contra poluição visual], então como já somos do Rio de Janeiro, ficou fácil”, explica Flávia.

No entanto, a empresária explica que a Mobees já mapeou algumas cidades e pretende expandir em breve para mais municípios. “Queremos chegar, pelo menos, nas cidades ao redor de São Paulo”.


A Machine é a principal tecnologia para criação de aplicativos de transporte e entregas do Brasil. Juntos, os apps desenvolvidos com nossa tecnologia já tiveram mais de 130 milhões de solicitações.