Início » As 3 principais dúvidas sobre os mapas da Machine

As 3 principais dúvidas sobre os mapas da Machine

foto de um mapa

Você tem alguma dúvida sobre a tecnologia de mapas que a Machine utiliza? Então confira o texto que preparamos.

Há algumas semanas, estamos batendo na tecla da importância dos mapas no mercado da mobilidade urbana.

No texto de hoje, voltamos a conversar com os nossos parceiros da Maplink para ajudar você, que decidiu lançar seu app de transporte e escolheu a Machine para ser a sua plataforma, a entender como funciona nossa tecnologia de mapas. 

A Machine trabalha de acordo com os termos de uso da tecnologia de mapas?

Sim, nossa plataforma trabalha totalmente de acordo com os termos de uso da tecnologia de mapas.

Parece uma pergunta muito básica, mas contratar uma plataforma de mobilidade urbana que não trabalha de acordo com os termos de uso da tecnologia de mapas (Google Maps, Here e etc.) pode te gerar uma grande dor de cabeça.

Como falamos no texto os “3 principais problemas de não contar com uma boa solução de mapas”, o Google disponibiliza US$ 200 mensais para as empresas usarem dentro da sua tecnologia de mapas.

Criar várias chaves para conseguir múltiplas isenções não é permitido e o Google pode suspender a conta da plataforma de mobilidade, deixando seu app na mão.

Todos os custos com mapas estão inclusos na mensalidade da Machine?

Sim, os custos com mapas já estão inclusos na sua mensalidade.

Os mapas são um dos principais custos de uma plataforma de transporte de passageiros.

As empresas que trabalham com tecnologia própria pagam de acordo com a quantidade de requisições que são feitas.

Vamos explicar melhor.

O Google, por exemplo, cobra a cada 1.000 requisições, mas isso não significa que são a cada 1.000 corridas realizadas ou a cada 1.000 corridas solicitadas.

Cada vez que o seu passageiro faz uma simulação de viagem, só para consultar o preço, o aplicativo já é cobrado pelo uso de funcionalidades como roteirização, places e tudo mais.

Na Machine, todo o uso de mapas já está incluso na sua mensalidade.

Qual é a base de mapas que a Machine usa?

Na Machine, nós utilizamos várias tecnologias de mapas, entre elas, o Google Maps.

Frederico Hohagen, CEO da Maplink, explica que há, de fato, muitos serviços de mapas no mercado.

Aqui mesmo, já falamos sobre 4 tecnologias de mapa para aplicativos de transporte.

Porém, ele é muito direto ao afirmar que para o mercado da mobilidade urbana não há tecnologia que se compare ao Google Maps.

A gente já tentou ajudar clientes que trouxeram problemas de várias outras plataformas, mas para o problema da mobilidade urbana, que é a precisão da onde o passageiro está, ela é fundamental para o sucesso da sua empresa. Se o mapa mostrar que o passageiro está no meio de um quarteirão, mas ele estiver em outro, em cidades como São Paulo e Rio, isso pode resultar em até 20 minutos para o motorista chegar e você acaba arruinando a experiência do passageiro.

Frederico Hohagen, CEO da Maplink

Dessa forma, Frederico explica que apesar do preço do Google Maps ser mais elevado em relação aos concorrentes, ela é uma tecnologia indispensável para quem quer trabalhar com mobilidade urbana.


A Machine é a principal tecnologia para criação de aplicativos de transporte e entregas do Brasil. Juntos, os apps desenvolvidos com nossa tecnologia já tiveram mais de 130 milhões de solicitações.