Início » 6ª Lei: a Lei do Produto

6ª Lei: a Lei do Produto

Pessoa segurando um aplicativo. Ao lado está escrito a lei do produto utilize tecnologia de ponta para seu aplicativo

Seu aplicativo é o contato que seus clientes e motoristas tem com sua empresa. Por isso, você precisa contar com o melhor produto do mercado.

Já conversamos algumas vezes aqui no blog que os custos para criar um aplicativo de transporte do zero são altos.

Além de contratar uma equipe de programadores para construir seu app, você precisará desembolsar, periodicamente, altos custos com o pagamento de mapas, servidores e toda infraestrutura para colocar o aplicativo em funcionamento.

Por isso, apesar do mercado de transporte por aplicativo crescer tanto no Brasil e no mundo, ele acaba sendo concentrado na mão de poucas empresas como a Uber, 99 e Cabify.

Para democratizar o acesso a essa tecnologia e permitir que empreendedores regionais possam entrar nesse mercado, surgiram as plataformas White Labels, como a Machine.

Ela oferece um aplicativo base e uma plataforma de gestão para que o empreendedor possa configurar o app com sua logo, tarifas e as funcionalidades disponíveis.

Assim, ele ou ela ficam focados na gestão do aplicativo, no suporte aos passageiros e motoristas, nas pesquisas de mercado, e deixa toda a parte tecnológica nas mãos da empresa contratada.

É claro que esse modelo de negócio tem suas vantagens e desvantagens. Afinal, você não consegue realizar atualizações de nova funcionalidades por contra própria e, caso um concorrente entre na cidade com a mesma tecnologia, vocês dois terão um aplicativo visualmente semelhante.

De qualquer forma, contratar uma plataforma white label te permite ter acesso a uma tecnologia poderosa sem você precisar de um alto investimento inicial. No entanto, não pode ser qualquer tecnologia.

Por isso, vamos falar da Lei do Produto.

O que é a Lei do Produto?

A Lei do Produto é a sexta lei de sucesso dos aplicativos de transporte. Ela rege a importância de você se preocupar com o fornecedor da sua tecnologia, analisando suas funcionalidades, mapas, painel de gestão, design e estabilidade.

Alguns empreendedores podem cair no erro de procurar apenas a plataforma mais barata para lançar seu app de transporte, mas não esqueça que um investimento baixo no início pode representar uma dor de cabeça maior lá na frente.

Afinal, imagine seu aplicativo te deixando na mão em um pico inesperado de solicitação?

Por isso, quando for escolher sua plataforma, não esqueça de observar:

Funcionalidades

As funcionalidades são as funções que seu aplicativo disponibiliza para clientes e motoristas, ou seja, o que você consegue habilitar e desabilitar para oferecer aos seus parceiros.

Dentre as funcionalidades mais conhecidas e importantes para você observar na sua plataforma, estão as formas de pagamento, os cupons de desconto, a tarifa dinâmica e as formas de disparo de corridas.

As funcionalidades da Machine, você consegue ver acessando nossa página sobre o assunto.

Lembrando que, em um aplicativo white label, não é possível adequar a plataforma ao seu negócio e, por isso, muitas vezes, vocês vai precisar adequar o seu negócio à plataforma.

Assim, é importante entender quais são as funcionalidades indispensáveis para o seu app, e quais delas você consegue abrir mão sem prejudicar a sua empresa.

Painel de gestão

O painel de gestão é onde a mágica acontece.

Ele será seu principal colega de trabalho, e é lá que você vai configurar as funcionalidades do seu aplicativo, suas tarifas, conferir os números do seu negócio e muito mais.

Por isso, ao escolher a tecnologia que você vai contratar, não esqueça de observar, com muita atenção, o painel de gestão.

Tire todas as suas dúvidas com os profissionais da área e, como falamos no texto sobre a Lei da Gestão, entenda o seu painel com a palma da sua mão.

Mapas

Ao criar um aplicativo de transporte do zero, certamente, um dos seus principais custos mensais será com os mapas.

Caso você não saiba, um aplicativo com geolocalização necessita de um fornecedor como o Google Maps, Here ou uma tecnologia própria.

Será com ela que seu passageiro identificará onde está o motorista e vice versa.

Ao contratar uma ferramenta White Label, a gestão dos mapas fica sob responsabilidade da empresa, mas mesmo assim, você precisa ter certeza que ela garanta a você uma boa inteligência de mapa, te dando tranquilidade para tocar o seu negócio.

Design intuitivo dos aplicativos de passageiro e motorista

Ao contratar uma plataforma White Label, você não adquire apenas um aplicativo. São dois, um para seus passageiros e outro para seus motoristas.

Ao analisar esses dois apps, o que você deve levar em conta é que eles sejam intuitivos, ou seja, fáceis de usar. Afinal, seus passageiros e motoristas precisam de agilidade.

Para os passageiros, o mais importante é que eles possam pedir uma corrida rapidamente, pois muitas vezes a solicitação é feita no meio da rua, gerando uma sensação de insegurança.

Você pode conferir os dois aplicativos da Machine nos vídeos abaixo.

Estabilidade

De quê adianta um aplicativo bonito, fácil de usar e com várias funcionalidades, se ele vive travando?

Por isso, ao contratar sua plataforma, não deixe de conferir se essa empresa possui uma estrutura robusta, experiência e capacidade para acompanhar o crescimento do seu aplicativo.

Investigue seu histórico, acompanhe casos de sucesso (que a tecnologia dessa empresa já permitiu) e contrate aquela que te dê o melhor produto do mercado.

Ah, caso queira conhecer a história da Machine, confira aqui no nosso blog.