Início » 5ª Lei: a Lei da Expansão

5ª Lei: a Lei da Expansão

Foto de um gráfico crescente, ao lado está escrito: a lei da diferenciação: expanda seu aplicativo de forma ordenada

É sempre positivo ter planos ambiciosos para expandir seu aplicativo de transporte, mas faça isso com calma e planejamento.

Esqueça a era do crescimento a qualquer custo.

Esse é o alerta que muitos economistas e especialistas no mercado fazem para os próximos anos.

Afinal, muitas startups tem apostado na estratégia de um crescimento acelerado, baseado no investimento de fundos como o SoftBank, que despejou bilhões de dólares em negócios como a Uber e a Didi (dona da 99).

Essas empresas, apesar de bem sucedidas no quesito reconhecimento do mercado e recepção do público, estão acumulando prejuízos bilionários nos últimos anos. Ou seja, apesar de estarem faturando bilhões com suas atividades, ainda gastam um valor maior do que arrecadam.

Um dos maiores críticos desse modelo é o professor de marketing da Universidade de Nova Iorque, Scott Galloway.

O professor Galloway, conhecido por ter escrito um livro sobre as quatro grandes empresas de tecnologia do mundo (Amazon, Apple, Facebook e Google), previu o fracasso da abertura de capital de uma empresa que apostava nesse tipo de crescimento, a WeWork.

Apesar de parecer uma realidade distante de gestores de apps regionais, essa lição deve servir de ensinamento.

Não expanda seu aplicativo a qualquer custo. Cresça de forma ordenada, entendendo e respeitando o limite do seu negócio.

É por isso que a lei da expansão é uma das 7 leis de sucesso dos aplicativos de transporte. Hoje vamos falar sobre ela e quais são as perguntas que você deve responder antes de expandir seu app.

Onde começar meu aplicativo?

Uma dúvida comum de muitos gestores é em que localidade iniciar a atuação de um app regional.

Será que a estratégia de sair divulgando por toda sua região é positiva?

Se você mora em um um município extenso, com muitos bairros e regiões, o perigo é de não haver nem demanda de passageiros nem oferta de motoristas para todos esses locais.

Assim, corre o risco do seu passageiro demorar muito para receber uma corrida ou do seu motorista ter que percorrer uma longa distância para chegar ao passageiro.

Por isso, não se preocupe em começar com um foco bem local. Se há um bairro na sua cidade em que você constata uma demanda interessante de corridas, comece sua divulgação por lá. Atraindo passageiros e motoristas locais e de regiões ao redor.

Quando você estiver consolidado, vá expandindo o aplicativo para o resto da cidade até conquistar pelo menos 20% da população da sua cidade em corridas finalizadas.

A partir desse momento, você já pode começar a pensar em levar o aplicativo para outras cidades, por meio da criação de franquias e filiais.

Corridas x Motoristas

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar (Pnad/IBGE), o Brasil já possui mais de 1 milhão de motoristas de aplicativos.

Em algumas cidades, os motoristas já sentem seus ganhos caindo devido a alta oferta de motoristas, que nem sempre é igual a demanda de passageiros.

Falando o português claro, em alguns momentos podem haver muitos motoristas para poucas corridas. Você, como gestor de um app de transporte, precisa trabalhar para que isso não ocorra de forma estrutural no seu aplicativo.

Por isso, não inicie com centenas de motoristas, caso ainda não haja corridas suficientes para todos trabalharem e terem bons ganhos.

Em média, um motorista de aplicativo deve receber diariamente de 15 a 20 corridas. Por isso, veja quantas corridas você tem por dia.

Vamos imaginar que seu app faça mil corridas diárias. Assim, quantos motoristas você precisa ter para que cada um faça no mínimo 15 corridas?

Para descobrir, basta pegar as mil corridas que você tem diariamente e dividir pelas 15 corridas que cada motorista deve ter.

Nessas condições, seu app deve ter por volta de 66 motoristas cadastrados.

Caso você note que está tendo muitas corridas queimadas por falta de motoristas, aí sim está na hora de fazer uma nova campanha de cadastro.

É hora de adicionar opcionais?

Já falamos algumas vezes aqui no blog sobre a importância de disponibilizar opcionais no seu aplicativo de transporte.

Aliás, temos um ebook sobre o assunto, não deixe de conferir.

No entanto, antes de realizar esse tipo de expansão, oferecendo serviços como transporte de objetos, motoristas mulheres, transporte de crianças com cadeirinhas etc, você deve analisar se há demanda e oferta na sua cidade para isso.

Vamos pegar o exemplo dos aplicativos de transporte para mulheres. Muitos levantamentos indicam que o público feminino é o que mais pede transporte por aplicativo, no entanto, o número de mulheres motoristas cadastradas nos apps, ainda é muito pequeno.

A própria Uber anunciou a campanha U-Elas, que permite, em algumas cidades, as motoristas só realizarem corridas com passageiras mulheres.

Isso porque, antes de você anunciar uma funcionalidade como essa, é importante que você tenha motoristas mulheres cadastradas. Afinal, há o risco de sua campanha sair pela culatra, pois suas passageiras podem pedir uma motorista mulher e ficarem esperando por falta de disponibilidade.

Isso vale para todos os outros opcionais que você disponibilizar. Só anuncie e cadastre se você tiver certeza que, de fato, há motoristas disponíveis para fazer esse tipo de serviço.

É hora de apostar em novas modalidades de transporte?

Há alguns meses, uma enxurrada de aplicativos de patinetes elétricos começou a tomar conta das grandes cidades.

Apesar do investimento inicial, o mercado parece estar recuando, afinal, diversas empresas do setor anunciaram cortes de funcionários.

Um dos diretores da 99, Davi Miyake, disse em entrevista ao Valor que a empresa não pretende crescer a qualquer custo. Segundo ele, uma das medidas tomadas para manter a 99 em um crescimento saudável é não ter entrado no mercado de patinetes que, segundo ele, não apresentava receita sustentável por usuário.

O mesmo vale para um gestor de um aplicativo regional. Além de apps de transporte de motoristas particulares, não é raro que empreendedores pensem em entrar em outras modalidades de transporte.

Porém, como o pessoal da 99 alertou, analise se vale a pena abrir um novo negócio na área do transporte naquele momento.

Algumas plataformas produzem apps não apenas para motoristas particulares, mas também para táxi e mototáxi. No caso da Machine, também é possível utilizá-la para a criação desses modalidades. Assim, você pode ter um app tipo Uber e um outro aplicativo, para mototáxi, por exemplo, com a sua marca.

Não deixe de conferir as outras leis de sucesso dos aplicativos de transporte.