Início » Entregador precisa de maquininha?

Entregador precisa de maquininha?

Mão segurando maquininha de cartão de crédito, ao lado está escrito: entregador precisa de maquininha?

A praticidade dos cartões de débito ou crédito torna seu uso cada vez mais popular, por isso, será que um entregador precisa de maquininha?

Segundo pesquisa publicada pelo Instituto Locomotiva em outubro de 2019, o dinheiro segue sendo a principal forma de pagamento dos brasileiros.

71% dos entrevistados afirmaram que preferem usar as cédulas no dia a dia. Em seguida no ranking já aparecem os cartões de débito e de crédito.

Aliás, como mostrou um levantamento da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), o uso de cartões no Brasil cresceu 14,5% no ano de 2018.

Em números, isso significa que naquele ano mais de 1 trilhão de reais em compras foram realizadas com cartões de débito, crédito ou pré-pago.

No ramo dos aplicativos de entregas podemos afirmar que eles são o que são, hoje, muito pela praticidade que trazem às vidas das pessoas.

Em alguns cliques, um cliente consegue encomendar um produto que em questão de minutos ou no máximo horas estará na sua casa.

Um dos principais pontos desse ecossistema é exatamente a forma de pagamento do produto. Não à toa, ele também é um dos principais desafios para quem trabalha na área, desde as empresas de entregas via motoboy até para os próprios entregadores.

Dessa forma, o desafio dessas empresas é oferecer aos clientes dos seus estabelecimentos parceiros, uma maneira rápida, fácil e segura de realizar o pagamento do produto.

Ao mesmo tempo, oferecer ao próprio estabelecimento a segurança de ter o seu dinheiro no menor tempo possível e sem preocupações.

Por isso, hoje vamos falar sobres a maquininhas de cartão no contexto do mercado de entregas.

A ideia é responder a pergunta que é o título desse artigo, tanto pelo ponto de vista do entregador quanto dos responsáveis pelas empresas de entregas.

Entregador iFood precisa de maquininha?

Não. O entregador do iFood não precisa de maquininha. No entanto, é aconselhado que ele tenha. Afinal, sem uma maquininha, ele só poderá receber pedidos onde o pagamento tenha ocorrido dentro do aplicativo ou em dinheiro.

O próprio iFood vende três linhas de maquinas de cartão, sendo uma delas voltadas a seus entregadores.

Segundo seu site, o valor é de doze vezes de R$24,90 e ela realiza transações de débito e crédito, além de parear via Bluetooth com o app do iFood para entregadores. No momento em que o artigo foi escrito (maio de 2020), ela aparecia indisponível no site da empresa.

É importante lembrar que isso vale para entregadores cadastrados no iFood, ou seja, aqueles que atendem os estabelecimentos do plano entregas da plataforma.

No caso dos estabelecimentos que só usam o iFood como marketplace, ou seja, apenas expondo seu cardápio, as entregas são realizas através de motoboys próprios ou contratando uma empresa especializada, como a Loggi, a Juma (Porto Velho – RO) ou a Coolt (Londrina – PR).

No caso dessas duas últimas, que utilizam o módulo de entregas da Machine, os entregadores realizam o transporte da maquininha do estabelecimento até a casa do cliente.

Porém também há outras possibilidades que se abrem nesses casos.

Como realizar a cobrança dos produtos dos meus clientes?

Como já falamos, a forma de pagamento dos produtos é um dos principais desafios do ecossistema do mercado de entregas.

A missão é facilitar a vida dos clientes, sem excluir quem ainda quer pagar no momento da entrega, ao mesmo tempo que garante agilidade para os entregadores e tranquilidade para o estabelecimento parceiro receber o valor do produto.

Por isso, separamos quatros formas de realizar a cobrança dos produtos dos seu clientes.

Levando e trazendo de volta a maquininha

Essa talvez seja a forma mais clássica para empresas de motoboys que atendam estabelecimentos que oferecem delivery.

Nesse caso, o motoboy retira o produto no estabelecimento e leva consigo a maquininha do local.

No caso dos clientes que usam o módulo de entregas da Machine, basta usar a funcionalidade do multidestino para inserir os locais da entrega e selecionar dentro do painel de solicitação o retorno ao estabelecimento, para realizar a devolução da maquininha.

Entregadores focados em apenas um cliente

Outra possibilidade é que os motoboys da sua frota fiquem apenas em um cliente específico. Dessa forma, eles portarão a maquininha do estabelecimento e irão realizar a cobrança por meio dela.

Aconselhar o cliente a realizar cobrança online

Sempre é possível também orientar seus estabelecimentos parceiros a focarem suas vendas nas compras online. Dessa forma, o serviço de entrega realiza de fato apenas o deslocamento do produto.

Esse pagamento online pode ser feito tanto através dos aplicativos como iFood ou por meio de links de pagamentos. Por meio deles, basta enviar uma URL para o cliente e ele paga de forma online.

Recolher o valor do produto e realizar a transferência para o estabelecimento

A sua empresa de motoboys também pode fazer um modelo semelhante ao do iFood e da Loggi. Assim, você deverá adquirir maquininhas de cartão de crédito e distribuir para os entregadores.

Ela será vinculada a conta da sua empresa e de tempos em tempo você deve fazer o repasse do valor dos produtos para os estabelecimentos.

Bem, essas são algumas formas de realizar a cobrança dos produtos dos seus estabelecimentos parceiros.

Caso você tenha uma empresa de mototoboys ou um outro tipo de serviço de enregas, vale avaliar qual modelo melhor te atende para confirmar se seus entregadores devem ou não portar uma maquininha.

Não deixe de conferir nossos outros conteúdos aqui no blog e no nosso canal no Youtube.