Início » Informações sobre o Coronavírus para motoristas

Informações sobre o Coronavírus para motoristas

Motorista com mão no volante, ao lado está escrito: dicas contra o coronavírus para motoristas, taxistas e mototaxistas

Para motoristas, taxistas e mototaxistas, todo o cuidado contra o novo coronavírus é necessário, por isso, atenção nas dicas.

Nas últimas semanas, uma palavra entrou no vocabulário de todo o brasileiro: Covid -19, o novo Coronavírus.

Essa doença, até então desconhecida para grande parte do mundo, passou a trazer muito medo nas cidades, mudando completamente a forma com que nos relacionamos.

Abraços, apertos de mão ou beijos na bochecha passaram a se tornar símbolos de transmissão da doença e, por isso, dignos de serem evitados.

Do outro lado, o álcool em gel se tornou uma “arma” do dia a dia do brasileiro contra a doença.

No meio disso, motoristas de aplicativo, taxistas e mototaxistas, profissionais que estão em constante relação com dezenas de pessoas diariamente, tornaram-se alvo da doença em todos os aspectos.

Se, por um lado, esse contato direto com as pessoas pode contribuir para uma contaminação desses profissionais, por outro, as medidas preventivas de isolamento representam menos pessoas na rua e logo, queda nos ganhos de quem dirige.

Talvez você já deva ter lido bastante coisa na mídia nesses últimos dias. No entanto, recomendamos o site do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde, para você se manter sempre melhor informado para saber mais sobre a origem, sintomas e cuidados contra a doença.

Todas as informações descritas nesse texto foram retiradas desses órgãos, mas por se tratar de uma doença tão recente, nunca deixe de conferir as atualizações publicadas por eles.

O que é o Coronavírus?

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias, desde os mais simples resfriados até as doenças mais severas, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio e a Síndrome Respiratória Aguda Grave.

O novo agente do Coronavírus provoca a doença chamada de Covid-19.

Essas e outras informações estão disponíveis em um FAQ completo (em inglês), que a organização preparou sobre o novo coronavírus.

Quais são os sintomas do novo Coronavírus (Covid-19)?

Os sintomas do Covid-19 são similares aos de um resfriado, como alerta o Ministério da Saúde, sendo os mais comuns, até o momento, febre, tosse e dificuldades para respirar.

A OMS ainda aponta que alguns pacientes podem sentir dores, congestão e secreção nasal, dor de garganta e diarreia.

No entanto, ainda há alguns infectados assintomáticos, ou seja, que não sentem nada do que foi relatado acima ou qualquer tipo de mal estar. Porém, mesmo essas pessoas podem contaminar os outros à sua volta.

Além disso, a Organização afirma que 80% dos contaminados se recuperam da doença sem nenhum tratamento específico e apenas 1 em 6 casos evoluem para sérios problemas respiratórios.

Quem forma o grupo de risco do novo coronavírus?

Segundo a OMS, o grupo de risco do novo coronavírus é formado por idosos e pessoas com problemas médicos como pressão alta, doenças cardíacas ou diabetes.

Isso significa que as chances da doença evoluir nessas pessoas são maiores. No entanto, a OMS orienta que pessoas com febre, tosse e dificuldades para respirar recebem uma atenção médica redobrada.

Como se contrai a doença?

Segundo o Ministério da Saúde, a doença é transmitida pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal, como aperto de mão ou toque, e contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Quando um infectado espirra, tosse ou espalha alguma gotícula de olhos, nariz ou boca, acaba contaminando pessoas e objetos ao redor.

Dessa forma, caso alguém saudável tenha contato com um objeto infectado e leve suas mãos a boca, nariz ou olhos, também acaba se contaminando.

Por isso, a OMS orienta uma distância mínima de 1 metro de pessoas doentes.

O que motoristas, taxistas e mototaxistas devem fazer para se protegerem contra o Coronavírus?

Agora que você entendeu mais sobre a doença, vamos explicar o que esses profissionais podem fazer para ficarem mais seguros.

Sabemos que a orientação geral é o auto isolamento mas, como falamos anteriormente, essa prática é inviável para muitos desses profissionais.

Por isso, para trabalharem de forma mais segura, siga as instruções abaixo.

1 – Mantenha os vidros dos carros abertos

Para motoristas e taxistas, a primeira dica é desligar o ar condicionado e realizar as viagens com os vidros dos carros abaixados.

Isso possibilita uma melhor circulação do ar, diminuindo as chances de contágio.

Caso o passageiro peça, explique a situação e diga que é para o próprio bem-estar dele.

2 – Não tenha medo de usar álcool em gel

O álcool em gel ajuda a higienizar suas mãos e a de seus passageiros, evitando que o vírus se propague.

Cuidado também com as Fake News. Nos últimos dias, algumas correntes do WhatsApp propagaram informações falsas de que o álcool em gel não é eficaz ou que ele poderia gerar falso positivo no teste do bafômetro.

Ambas estão incorretas e sobre a última informação, a Polícia Rodoviária Federal já divulgou em seu canal no Youtube um vídeo provando que se trata de uma mentira.

Já o Ministério da Saúde publicou em seu site uma nota reafirmando a inverdade dessa informação.

“O Ministério da Saúde informa que a utilização do álcool em gel como medida de prevenção às doenças transmissíveis é eficaz e importante para evitar a disseminação de vírus. A inalação momentânea do álcool em gel após sua utilização pode durar alguns segundos nos pulmões, caso esteja em ambiente fechado, com pouca ventilação. Contudo, é eliminado em menos de dois minutos”.

Ministério da Saúde

3 – Higienize veículos e equipamentos regularmente

Outra dica importante é que você realize a higienização do seu veículo regularmente. De preferência, após o término de cada corrida.

O álcool em gel ou o álcool 70% podem ser usados para a higienização de bancos e volantes.

A dica também vale para mototaxistas, que não devem compartilhar capacetes e mantê-los sempre higienizados.

4 – Suspenda corridas compartilhadas

Se o contágio é possível de um para um, imagine com três ou quatro passageiros no seu veículo.

A regra agora é ter o menor número possível de contato com outras pessoas. Por isso, evite as corridas compartilhadas.

A Uber já anunciou que suspendeu suas corridas da categoria Juntos em alguns países por conta da pandemia.

5 – Ofereça máscaras para passageiros durante a viagem

Assim que “estourou” a pandemia, muitas pessoas correram para comprar máscaras.

O Ministério da Saúde alerta que ela só deve ser usada por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus.

Porém, como motoristas não sabem quem são essas pessoas que estão transportando, ele pode orientar a todo passageiro que entrar no seu veículo a usar a máscara durante a viagem. É aconselhado que você também as utilize, para dar tranquilidade ao passageiro.

Além disso, é importante alertar que as máscaras devem ser sempre descartadas a cada uso e, no caso do motorista, taxista ou mototaxista, trocada a cada 2 horas, segundo o infectologista Celso Granato, entrevistado pela revista Veja.

6 – Mantenha distância do passageiro

Durante o período da pandemia, peça para que o passageiro mantenha o máximo possível de distância, ou seja, sentando no banco de trás.

Algumas expressões podem ser duras. Por isso, sempre que possível, lembre ao passageiro que essas medidas estão sendo tomadas também para a proteção dele.

Evite, também, os cumprimentos.

7 – Alerte o aplicativo caso perceba que o passageiro apresenta sintomas

Muitos aplicativos estão bloqueando temporariamente passageiros e motoristas contaminados com o COVID-19.

Por isso, caso perceba que o passageiro apresenta os sintomas ou comente que está infectado, não deixe de alertar o aplicativo.

8 – Não vá trabalhar caso esteja com sintomas

A última dica é essencial.

Como comentamos algumas vezes, sabemos que para um trabalhador autônomo, não ir trabalhar representa a perda dos seus ganhos.

No entanto, caso você esteja apresentando os sintomas do coronavírus, não vá trabalhar em hipótese alguma. Fique em casa e, caso precise, procure ajuda médica.

Muito tem sido alertado que os grandes riscos do coronavírus não é a sua letalidade, mas sim o “boom” de seu contágio, que pode causar um colapso no nosso sistema de saúde.

Por isso, não é necessário que você vá ao hospital logo que apareça qualquer sintoma.

Para isso, o Sistema Único de Saúde desenvolveu um aplicativo que comunica informações sobre o Covid-19, realizando uma triagem virtual para dizer se é necessária, ou não, a sua ida ao hospital.

O aplicativo está disponível tanto para Android quanto para IOS.

Como posso obter corridas nessas circunstâncias eventuais de baixa circulação de passageiros?

Os aplicativos de transporte individual de passageiros, eventualmente, passarão por uma queda na demanda de solicitações, impactando diretamente na renda dos motoristas.

Por isso, uma alternativa que pode ser realizada pelos apps é fazer parcerias com estabelecimentos, como mercados, drogarias e restaurantes, para a realização de entregas dessas mercadorias às pessoas que adotaram a quarentena.

Quais medidas estão sendo tomadas pelos grandes aplicativos?

A Uber publicou em seu site uma página sobre as medidas que está tomando contra a pandemia.

Segundo a multinacional, a empresa conta com uma equipe 24 horas em contato com as autoridades públicas, que podem realizar a suspensão temporária de contas de motoristas e passageiros infectados, ou que entraram em contato com o vírus.

Além disso, a empresa oferece ajuda financeira de até 14 dias para motoristas e entregadores infectados ou que estejam em isolamento forçado pelas autoridades.

“Estamos disponibilizando recursos para ajudar os motoristas parceiros a manter seus carros limpos. Os motoristas parceiros que estiverem nas cidades mais afetadas terão prioridade sobre esses recursos”.

Uber

Assim como a Uber, a 99 também está tomando medidas de precaução contra o coronavírus.

A empresa publicou em seu site uma página orientando quais medidas de segurança seus passageiros e motoristas devem tomar.

Além disso, a empresa chinesa Didi, dona da 99, está criando um fundo de US$10 milhões para apoiar motoristas contaminados. Além disso, na China, ela acabou de lançar um serviço de entrega para incentivar o transporte de mercadorias e alimentos, em um momento que a demanda por transporte de passageiros está caindo.

Previna-se

A palavra do momento é prevenção e, por isso, todo cuidado é necessário.

No entanto, nada de pânico. Assim como outras epidemias, sairemos mais fortes dessa crise, basta cada um de nós fazermos a nossa parte.

Por isso, além de ajudar a divulgar todas as informações que vimos aqui, tome muito cuidado com o compartilhamento de notícias falsas ou que causem pânico sem necessidade.

Caso tenha qualquer dúvida, consulte o site do SUS ou entre em contato com o Sistema Único de Saúde pelo número 136 ou pelo WhatsApp (61) 99289-4640.

No seu dia a dia, não esqueça de seguir as orientações do Ministério da Saúde, evitando aglomerações, lavando bem as mãos com água e sabão, cobrindo nariz e boca ao espirrar e tossir, além de manter os ambientes sempre ventilados e não compartilhar objetos pessoais.

Para se manter informado sobre o impacto do coronavírus no mercado dos aplicativos de transporte, não deixe de conferir nossa página sobre o assunto.


A Machine é a principal tecnologia para criação de aplicativos de transporte e entregas do Brasil. Juntos, os apps desenvolvidos com nossa tecnologia já tiveram mais de 130 milhões de solicitações.