Início » Cinto de segurança: motoristas de app devem ficar atentos?

Cinto de segurança: motoristas de app devem ficar atentos?

Homem dirigindo carro

Garantir a própria segurança e a de seus passageiros deve ser uma prioridade para motoristas de app, por isso, o cinto de segurança é indispensável.

A obrigatoriedade do uso do cinto de segurança não é uma pauta recente, por mais que o uso ainda seja amplamente negligenciado.

Além disso, é comum observar que nos casos onde é utilizado, o uso geralmente ocorre somente pelo motorista e passageiros dos bancos da frente, havendo um “ar de despreocupação” dos ocupantes da parte traseira do veículo.

Esse mau hábito pode ser relacionado ao fato de que a legislação que definia as normas de trânsito anteriormente, o Código Nacional de Trânsito de 1966, nem mesmo possuía uma regra que definisse o uso do cinto.

Somente por meio de uma resolução em 1968 foi instituído que todos os veículos deveriam ter cinto de segurança, ainda que na época a obrigatoriedade do uso se limitasse apenas a circulação em rodovias.

Atualmente, é o Código de Trânsito Brasileiro de 1997 que define a regulamentação do setor. O artigo 65 da lei estabelece a norma que conhecemos hoje:

É obrigatório o uso do cinto de segurança para condutor e passageiros em todas as vias do território nacional, salvo em situações regulamentadas pelo CONTRAN“.

A importância do cinto de segurança pode ser mostrada em números.

Segundo a cartilha de conscientização no trânsito do DETRAN-PR, oito em cada dez pessoas que não usavam o cinto de segurança morreram em acidentes com pelo menos um dos veículos a mais de 20 km/h.

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) ainda afirma que o uso correto do cinto pode reduzir em até 70% as mortes e lesões graves.

É preciso ser ainda mais cuidadoso quando falamos de um serviço de transporte por aplicativo, afinal, a segurança do motorista e do passageiro deve ser inegociável.

Para isso os cintos de segurança devem estar sempre disponíveis nos veículos e os passageiros devem ser incentivados a usá-los independente do tamanho do trajeto.

Multa por não uso do cinto de segurança

O não uso do cinto, seja pelo condutor ou pelos passageiros, configura infração grave do código de trânsito. A partir disso, é estabelecida uma multa que pode ser considerada “pesada” para o infrator, como forma de conscientizar, por bem ou por mal, da importância da medida.

Atualmente a infração pode custar ao condutor R$ 195,00, além de 5 pontos na carteira.

Como colocar o cinto?

A ação de colocar o cinto pode ser simples, mas é preciso assegurar de que tenha sido feita corretamente para que a proteção seja de fato efetiva.

O primeiro passo é posicionar o corpo contra o encosto do banco. No caso dos assentos reclináveis, primeiro posicione o assento na vertical.

Depois, estique a extremidade do cinto, retirando qualquer torção na correia, e encaixe na fivela até perceber o “click”. Após isso, puxe a correia para frente e depois a solte, eliminando folgas entre o cinto e o corpo.

Os cintos devem estar posicionados da seguinte maneira: sobre a cintura, e não sobre a barriga, nos casos dos cintos de 2 (faixa horizontal) e 3 (horizontal e diagonal) pontos e sobre o tórax no caso do cinto de 3 pontos.

Como destravar o cinto de segurança?

Você provavelmente já esteve em uma situação onde tentou puxar a correia do cinto mas não conseguia liberar mais de jeito nenhum.

Esse é um mecanismo de segurança que os cintos possuem para que o ocupante continue preso ao banco durante acidentes. Essa trava se ativa quando há um movimento muito rápido ou se o veículo inclinar excessivamente para a frente, para trás ou para os lados.

Destravar a liberação da fita é simples, basta esperar que a inclinação diminua um pouco ou então deixar que a correia se retraia e depois puxá-la novamente.

Como limpar o cinto?

O ponto principal é evitar produtos químicos, pois podem prejudicar a durabilidade e resistência do cinto. O recomendado é utilizar água, sabão e uma esponja de cozinha.

Estique a correia do cinto e trave-a, aproveite do mecanismo que explicamos acima, ou então encaixe a língua do cinto em uma fivela mais distante que a sua correspondente original.

Depois é só esfregar, sem força excessiva, até ficar limpo. Deixe as correias esticadas para que sequem, ou com um pano seco enxágue manualmente.

Cinto de segurança para pets

Ainda que não seja uma obrigação, essa é uma demanda que tem crescido. O cinto de segurança para cães e gatos que são transportados fora de caixas de transporte.

Normalmente quem tem o cinto para pets, é o próprio dono do animal, mas um motorista que oferece esse recurso, com certeza se destaca entre os demais.

O cinto funciona de forma simples: e colocado uma coleira peitoral no animal, e essa coleira é presa pelo “cinto dos pets” na fivela do veículo. O cinto na verdade pode ser visto como um adaptador da coleira, com uma extremidade que se encaixe nas fivelas.