Motoboy tem direito ao adicional de periculosidade ou insalubridade?

O motoboy CLT tem direito ao adicional por periculosidade, já a insalubridade é determinada pela investigação de um perito em seu local de trabalho.

Publicado em 11/11/2020 – Atualizado em 26/07/2021

Aviso Legal: material informativo, consulte seu advogado!

Periculosidade é, por definição, aquilo que é perigoso ou coloca a vida de alguém em risco. 

No âmbito profissional, é toda atividade que ameaça a saúde ou a vida do trabalhador.

De acordo com o portal Guia Trabalhista, são consideradas atividades ou operações perigosas aquelas que por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem risco acentuado em virtude de exposição permanente do trabalhador a:

  • Materiais inflamáveis, explosivos ou energia elétrica;
  • Roubos ou outras espécies de violência física nas atividades profissionais de segurança pessoal ou patrimonial.

Periculosidade na profissão do motoboy

De acordo com a Norma Regulamentadora 16, que regula as atividades e operações consideradas perigosas no Brasil, “as atividades laborais com utilização de motocicleta ou motoneta no deslocamento de trabalhador em vias públicas são consideradas perigosas”.

A lei também faz questão de explicitar que o simples deslocamento do trabalhador com a moto da sua casa até seu local de trabalho ou do uso eventual do veículo durante o serviço, não se enquadra na regra.

A norma também não abrange os entregadores que realizam o serviço por meio de veículos que não necessitam de emplacamento ou CNH, como é o caso dos bikeboys, e também os trabalhadores que usam os veículos em locais privados, como seguranças de condomínios.

2. Não são consideradas perigosas, para efeito deste anexo:

a) a utilização de motocicleta ou motoneta exclusivamente no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela;

b) as atividades em veículos que não necessitem de emplacamento ou que não exijam carteira nacional de habilitação para conduzi-los;

c) as atividades em motocicleta ou motoneta em locais privados.

d) as atividades com uso de motocicleta ou motoneta de forma eventual, assim considerado o fortuito, ou o que, sendo habitual, dá-se por tempo extremamente reduzido.

Anexo 5 da Norma Regulamentadora 16

Este anexo foi inserido em 2014 através da Portaria N.º 1.565 do Ministério do Trabalho e Emprego.

Dessa forma, os motoboys CLT têm direito ao adicional de periculosidade.

Ele corresponde a 30% sobre o valor do salário-base do empregado do momento da admissão até a rescisão, considerando os devidos reflexos. Para esse cálculo, não se leva em conta bônus, gratificações ou qualquer outro adicional.

Assim, se o motoboy tem um salário em carteira de R$ 1 mil reais, ele irá receber R$ 300, que devem ser depositados juntos com o salário, não podendo ser convertido em itens, como produtos e outros serviços.

Em junho de 2014, a então presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei Nº 12.997, que acrescentou o § 4º ao art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, para considerar perigosas as atividades de trabalhador em motocicleta..

§ 4o São também consideradas perigosas as atividades de trabalhador em motocicleta. (Incluído pela Lei nº 12.997, de 2014)

LEI Nº 12.997, DE 18 DE JUNHO DE 2014.

É importante destacar ainda que esse é um direito competente apenas a quem trabalha com carteira assinada e usa a moto, efetivamente, para trabalhar. 

Dessa forma, motoboys sem vínculo empregatício como é no caso do iFood, Rappi, Loggi e etc, não têm o direito aos adicionais.

Vale ressaltar que é responsabilidade do empregador a caracterização ou a descaracterização da periculosidade, mediante laudo técnico elaborado por um Médico do Trabalho ou Engenheiro de Segurança do Trabalho.

Outro ponto a se destacar é que os trabalhadores que recebem adicional de periculosidade têm direito à aposentadoria especial. Consulte seu advogado para mais informações!

E o que é insalubridade?

Insalubridade na relação trabalhista é quando o ambiente de trabalho pode impor ao profissional riscos a sua saúde.

Esses riscos podem aparecer tanto a curto prazo, como nos casos dos trabalhadores da indústria metalúrgica, quanto a longo prazo, como é o caso dos profissionais das usinas nucleares.

Assim, quando um profissional fica exposto a condições acima do limite permitido por lei, dizemos que ele ou ela trabalha em condições insalubres.

Segundo a Norma Regulamentadora 15, são passíveis de condição de insalubridade, profissionais expostos excessivamente a fatores como:

  • Ruídos contínuos, intermitentes ou de impacto;
  • Calor;
  • Radiação;
  • Agentes químicos e biológicos;
  • Poeira mineral;
  • Condições hiperbáricas (pressão);
  • Vibração;  
  • Temperatura e umidade.

Aos profissionais que se expõem a tais condições é oferecido por lei o adicional de insalubridade.

O valor do adicional é calculado tendo como base o salário-mínimo vigente. Assim, o valor pago pode ser de 10% para o grau mínimo de risco, 20% para o médio e 40% para o máximo.

A norma define que “cabe à autoridade regional competente em matéria de segurança e saúde do trabalhador, comprovada a insalubridade por laudo técnico de engenheiro de segurança do trabalho ou médico do trabalho, devidamente habilitado, fixar adicional devido aos empregados expostos à insalubridade quando impraticável sua eliminação ou neutralização”.

As empresas e os sindicatos podem requerer às delegacias do trabalho que realizem a perícia no estabelecimento ou no setor para determinar se há os requisitos de insalubridade.

Segundo o advogado Alberto L. Borem Junior, a norma possui ao todo 14 anexos, em que determina o Limite de Tolerância para cada risco ambiental existente em uma atividade.

Entretanto, dois pontos precisam ser considerados.

Não é possível acumular os dois adicionais. O profissional que se encaixa como beneficiário deverá escolher apenas um para receber.

Além disso, assim como o adicional de periculosidade, apenas funcionários CLT têm direito à taxa de insalubridade, logo, profissionais autônomos ou liberais não podem requerer o benefício.

Notícias da semana no Mercado da Mobilidade Urbana (19/07 – 23/07)

Acompanhe as notícias que movimentaram o mercado da mobilidade urbana na última semana.

Com a correria do dia a dia, nem sempre dá para acompanhar tudo o que acontece no mercado da mobilidade urbana.

Por isso, catalogamos por aqui, as principais notícias que saíram nos grandes veículos de comunicação sobre o nosso setor.

Uber compra a Transplace

O principal aplicativo de transporte do mundo anunciou ontem (22/07) que está adquirindo a Transplace, uma empresa que desenvolve soluções para logística.

A empresa foi adquirida do fundo de investimento TPG e passará a integrar a Uber Freight, o braço logístico da gigante da mobilidade.

Em comunicado aos investidores, a empresa divulgou que o preço total da aquisição foi de US$ 2,25 bilhões, pagos parte em dinheiro e parte em ações.

“A aquisição ocorre em um momento de transformação acelerada na logística. As demandas de um mercado volátil e a crescente complexidade da logística globalizada estão em conflito com a tecnologia de transporte da era industrial. Em meio a restrições de capacidade e custos crescentes de transporte, os remetentes estão adaptando suas operações em um ritmo cada vez maior e procurando por tecnologia, suporte e soluções que possam modernizar sua cadeia de suprimentos e manter os bens essenciais e a economia em movimento”, diz o comunicado.

A empresa também acredita que a aquisição irá colaborar com a tão sonhada operação lucrativa que até hoje a Uber e seu braço logístico ainda não alcançaram.

Cobli recebe investimento de R$ 175 milhões

A Cobli, startup brasileira de gestão e rastreamento de frota, recebeu na última semana um aporte de R$ 175 milhões durante uma rodada de investimento liderada pela SoftBank.

Segundo comunicado da startup, “o aporte financeiro ajudará a empresa a expandir rapidamente e também investir no desenvolvimento de novos produtos, como gestão de combustível integrada à operação, câmeras veiculares e muito mais”.

A expectativa é que o investimento também ajude a Cobli a desenvolver soluções para frotas de empresas médias e grandes. A missão é criar um seguro precificado com base em dados reais de utilização de veículos.

Segundo o presidente da empresa, Rodrigo Murad, o cenário é bastante positivo para o mercado de logística. “Vivemos um momento no Brasil em que o setor nunca esteve tão complexo e desafiador, principalmente em relação às expectativas de experiência dos usuários e toda a operação. Por meio da tecnologia e inovação, as logtechs proporcionam soluções eficientes e ágeis”.

99 investiu R$ 77 milhões de reais para diminuir 66% dos crimes contra motoristas

Uma matéria publicada na última quinta-feita (22/07) pela Revista Exame, revelou que a 99 investiu mais de R$ 70 milhões nos últimos 2 anos para enfrentar a violência contra os motoristas de aplicativo.

Duas atualizações publicadas no final de 2020, as inteligências artificiais Hércules e Cubo, passaram a agir para verifica padrões de comportamento de risco e evitar que os motoristas sejam redirecionados para áreas perigosas.

Segundo a empresa, os resultados já apareceram e no primeiro semestre de 2021 houve uma queda de 66% na violência contra os motoristas da plataforma.

No topo da lista das reduções estão os estados do Rio Grande do Norte e Roraima.

Tabela de preço para empresas de motoboy

A tabela de preço de motoboy é um instrumento muito tradicional para que as empresas possam divulgar seus serviços. Baixe o seu gratuitamente.

Devido ao fluxo de serviço intenso na área das entregas é preciso ter um sistema de precificação bem definido, para que os valores cobrados estejam adequados aos gastos da operação e aos lucros estimados.

Além disso, ter uma tabela de preços pronta também facilita a vida dos clientes, que podem fazer previsões e simulações de viagens.

É normal que hajam dúvidas sobre o quanto cobrar, por isso, já produzimos um conteúdo sobre como cobrar nas entregas da sua empresa de motoboy.

Além disso, preparamos um modelo de tabela para que você possa baixar e utilizar na sua empresa.

Enviaremos em até 24 horas.

Exemplo de tabela de preço para empresas de motoboy

Como já explicamos aqui no blog, há 3 formas principais de calcular o preço de uma entrega. Elas vão variar conforme a natureza do serviço prestado e, é claro, da opção da empresa.

  • Tabela de Km;
  • Km + minuto rodado;
  • Km + hora parada.

Enquanto a Tabela de Km define um valor específico para cada faixa de quilômetros (ex: de 1-5 km se cobra R$ 10), as cobranças por quilômetros + tempo parado ou rodado podem aparecer juntas.

Uma outra forma é a definição de preços específicos para bairros determinados. O modelo, muito comum entre os mototáxis, também são utilizado para entregas.

Apesar de haver modelos mais utilizados não há uma regra, então as opções apresentadas são exemplos e referências. Como veremos a seguir, cada empresa opta pelos próprios critérios.

Loggi

Lalamove

Click Entregas

Mercado Envios Flex: o sistema de entregas do Mercado Livre

O Mercado Envios Flex é o sistema de entregas no mesmo dia do Mercado Livre, abrindo uma excelente oportunidade para motoboys e transportadoras.

Publicado em 03/08/2020 – Atualizado em 22/07/2021

As entregas são, provavelmente, a etapa mais desafiadora das vendas online.

Não à toa, o mercado trabalha ativamente para solucionar o desafio, permitindo que vendedores possam entregar com a mesma agilidade que os clientes conseguem comprar e pagar pelos produtos.

Por isso, o Mercado Livre, principal marketplace do país, anunciou em 2018 o Mercado Envios Flex. Ele é um sistema de entregas no mesmo dia (same day delivery) ou, no máximo, no dia seguinte.

Através dele, os vendedores da plataforma realizam suas próprias entregas, ou seja, podem utilizar veículos próprios ou contratar motoboys ou transportadoras para levar os produtos até as mãos dos clientes.

Assim, ao habilitar essa modalidade, os vendedores conseguem algumas vantagens dentro do Mercado Livre, atraindo mais clientes e entregando com maior celeridade.

Vamos destrinchar esse sistema?

Foto: site do Mercado Envios Flex

O que é o Mercado Envios Flex na prática?

O Mercado Envios Flex é o sistema de entregas no mesmo dia ou, no máximo, no dia seguinte, do Mercado Livre.

Ele foi anunciado pela empresa em setembro de 2018, como uma forma de flexibilizar as opções de logística dos vendedores.

Afinal, através dessa categoria, a responsabilidade pela entrega é do vendedor.

Ele combina a data da entrega e pode realizá-la da maneira que preferir, sem necessitar do serviço dos Correios.

O vendedor pode escolher se vai atender de segunda a sexta ou também aos finais de semana. Caso a entrega seja feita no mesmo dia, ele vai colocar o limite do horário para que ela ocorra.

Como funciona o sistema para os vendedores?

Antes de qualquer coisa, para o vendedor estar apto a participar do Mercado Envios Flex, segundo a própria empresa, ele precisa atender aos seguintes critérios:

  • Reputação amarela ou verde.
  • Ter o Mercado Envios ativado nos anúncios.
  • Contar com um serviço de entregas particulares, seja próprio ou terceirizado.
  • Oferecer envios no mesmo dia ou no dia seguinte, de segunda a sexta-feira.
  • Fazer envios dentro da área de cobertura.

Se o vendedor atender a todos os critérios acima, basta ele baixar o aplicativo do Mercado Envios Flex em seu celular, e realizar as configurações usando a conta do Mercado Livre.

Quando uma venda é feita pelo Envios Flex, o Mercado Livre gera um QR Code para catalogar o produto. Assim, em seguida, o vendedor vai etiquetar cada produto com o código gerado.

Segundo a empresa, o vendedor deve manter uma taxa de 90% das vendas dentro do prazo, caso contrário, será suspenso temporariamente da modalidade.

Quais são as vantagens do Mercado Envios Flex para o vendedor?

Segundo o Mercado Livre, ao oferecer a possibilidade do cliente receber seu produto no mesmo dia, o vendedor, em troca, ganha algumas vantagens, que são:

  • Anúncios em destaque na plataforma e filtro especial de “Chegará hoje”;
  • Dinheiro da venda disponível na conta em até 48h após a entrega;
  • Subsídio de 40% dos custos no frete grátis;
  • Todos os envios rastreados;
  • Envio dos produtos com o próprio veículo ou serviço terceirizado;
  • Escolha da área de atuação.

Como funciona o sistema para os entregadores?

Na hora de realizar as entregas, o entregador vai escanear cada produto através do app. Com os produtos escaneados, o sistema joga para o aplicativo as informações do destinatário, como endereço e telefone de contato.

Além disso, ele vai elaborar uma sugestão de roteiro para o motorista, que poderá ou não seguí-la.

Ao partir para a entrega, todas as informações já estarão no aplicativo do entregador, que poderá entrar em contato com o destinatário.

O motorista confirma a entrega e o cliente assina digitalmente dentro do aplicativo, informando também seu CPF.

Caso a entrega não consiga ser realizada, basta informar no aplicativo e reagendar com o comprador.

O Mercado Livre também atenta que os entregadores devem:

  • Manter o Google Maps atualizado;
  • Sair sempre com a bateria do celular carregada, ou alguma bateria portátil;
  • Ativar o serviço de dados da internet.

Vale lembrar que o Mercado Livre não conta com uma plataforma de entregadores em nuvem, como as Lojas Americanas têm a Ame Flash ou a Magazine Luize a Logbee.

Para realizar as entregas do Mercado Livre é necessário entrar em contato diretamente com os vendedores ou com as transportadores que realizam esse trabalho. Falaremos sobre elas mais a frente.

A empresa também orienta que os entregadores realizem um treinamento básico para aprender a trabalhar com o aplicativo da empresa.

Eles possuem um manual de instruções do app do Mercado Envios Flex.

Foto: site do Mercado Envios Flex

Quanto custa uma entrega?

Uma das partes mais interessantes dessa categoria é que o Mercado Livre subsidia parte da entrega, para que o vendedor garanta frete grátis aos clientes em vendas acima de R$ 79.

A tabela de preços utilizada pela empresa é a seguinte:

  • R$ 8,90, se a entrega for na mesma região do vendedor.
  • R$ 13,90, se a entrega for em região vizinha.
  • R$ 15,90, se estiver em uma região distante do vendedor.

Dessa forma, para os vendedores Mercado líderes, Lojas Oficiais e reputação verde, 40% desse valor é subsidiado.

Já para os que tem reputação amarela, o subsídio é de 30%.

Em ambos os casos, tanto o valor do frete quanto da venda em si é creditado em até 2 dias após a entrega do produto.

Em caso de reagendamento, os custos são todos dos vendedores.

Transportadores que realizam as entregas do Mercado Envios Flex

O Mercado Livre indica que o vendedor busque empresas com boa estrutura para entregas diárias, com entregadores que já operam com o sistema, e que dê preferência para centrais conhecidas, com que já tenha trabalhado.

Outro importante ponto é avaliar os veículos oferecidos pela empresa. Afinal, a depender do produto, será necessário um veículo maior, como uma fiorino.

Vale lembrar que os produtos dessa categoria devem ter, no máximo, até 30 Kg e já estarem cadastrados no Mercado Envio.

A empresa possui em seu site, uma lista com algumas transportadoras habilitadas para o serviço.

No nosso blog, também já publicamos algumas transportadoras que realizam as entregas Envios Flex, mas não são certificadas pelo Mercado Livre.

A empresa explica que a diferença é que todas essas empresa passaram pela avaliação da equipe do Mercado Livre e comprovaram ter as seguintes características:

  • Não cobrar taxa de coleta;
  • Não ter número mínimo de pedidos;
  • Trabalhar com horários de corte alinhados com o Mercado Livre;
  • Possuir veículos para atender todos os tamanhos de produtos aceitos pelo Flex;
  • Fazer entregas aos sábados.

Transportadoras certificadas pelo Mercado Livre

  • B&A Express;
  • J3 Flex;
  • JG Express;
  • Limite Expresso;
  • Mindlog;
  • Murici;
  • R3 Express;
  • SpeedLog;
  • TM Logística.

Transportadoras não certificadas

  • Bora Bora Delivery;
  • Click Entregas;
  • AAZ está entregue;
  • BIBI44Express;
  • Pex Tá Entregue;
  • Vitom LOG;
  • TLG Logística Express.

Qual a área de atuação do programa?

Por enquanto, o Mercado Envios Flex atua somente na Região Metropolitana de São Paulo.

A empresa dividiu a capital e os demais municípios da região em zonas e subzonas.

Dessa forma, o vendedor consegue restringir a sua área de atuação.

Como mostramos também anteriormente, as zonas auxiliam na precificação da tarifa de entrega.

Zona Central

  • Barra Funda
  • Bela Vista
  • Bom Retiro
  • Cambuci
  • Consolação
  • Jardim Paulista
  • Liberdade
  • República
  • Santa Cecília

Zona Norte 1

  • Jaçana
  • Santana
  • Tucuruvi
  • Vila Maria
  • Vila Guilherme
  • Vila Medeiros

Zona Norte 2

  • Cachoeirinha
  • Casa Verde
  • Limão
  • Mandaqui

Zona Norte 3

  • Freguesia do Ó
  • Pirituba

Zona Sul 1

  • Itaim Bibi
  • Moema
  • Saude
  • Vila Mariana

Zona Sul 2

  • Cursino
  • Ipiranga
  • Sacomã

Zona Sul 3

  • Campo Belo
  • Campo Grande
  • Cidade Ademar
  • Jabaquara
  • Jardim São Luis
  • Santo Amaro
  • Socorro

Zona Leste 1

  • Agua Rasa
  • Aricanduva
  • Belém
  • Brás
  • Carrao
  • Mooca
  • Pari
  • Tatuapé
  • Vila Formosa

Zona Leste 2

  • São Lucas
  • Sapopemba
  • São Mateus
  • Vila Prudente

Zona Leste 3

  • Artur Alvim
  • Cangaiba
  • Cidade Lider
  • Penha
  • Ponte Rasa
  • Vila Matilde
  • Vila Prudente

Zona Leste 4

  • Ermelino Matarazzo
  • Itaquera
  • José Bonifácio
  • Parque Do Carmo
  • São Miguel Paulista
  • Vila Jacuí

Zona Leste 5

  • Guaianases
  • Itaim Paulista
  • Jardim Helena
  • Lajeado
  • Vila Curuçá

Zona Oeste 1

  • Alto de Pinheiros
  • Lapa
  • Pinheiros
  • Perdizes
  • Vila Leopoldina

Zona Oeste 2

  • Butantã
  • Jaguaré
  • Raposo Tavares
  • Rio Pequeno

Zona Oeste 3

  • Campo Limpo
  • Morumbi
  • Vila Andrade
  • Vila Sonia

Outros municípios

  • Barueri
  • Carapicuíba
  • Cotia
  • Diadema
  • Embu
  • Guarulhos
  • Mauá
  • Osasco
  • Santo André
  • São Bernardo do Campo
  • São Caetano do Sul
  • Taboão da Serra
  • Itaquaquecetuba

Como criar um aplicativo de entregas via motoboy?

A melhor forma de criar um aplicativo de entregas via motoboy é contratando uma plataforma white label, que licencia toda tecnologia que um empresário ou grupo de entregas precisa.

Publicado em 15/07/2020 – Atualizado em 19/07/2021

Se você caiu nesse texto, muito provavelmente você tem uma empresa de motoboys ou é um empreendedor avaliando novas oportunidade de negócio.

Nos últimos meses, os aplicativos de entregas tornaram-se grandes personagens do mercado. 

Afinal, com as medidas de isolamento social, e a insegurança das pessoas em saírem de suas casas, muitos negócios precisaram migrar para o digital. De restaurantes a lojas de roupas.

Por isso, os serviços de entregas e o trabalho dos motoboys, bikeboys e até dos motoristas de aplicativos, que se desdobraram com as entregas, tornou-se ainda mais essencial.

Engana-se quem pensa que isso vai passar no pós-pandemia. Pois ela apenas acelerou um processo que já estava ocorrendo, como diz o Jornal da USP, a Universidade de São Paulo.

Segundo o periódico, dados do setor apontaram crescimento de 155% no número de usuários de delivery de março a abril de 2020, sendo que o esperado já era de 30%.

Em relação ao número de pedidos, foi apontado um crescimento de 975%.

Aqui na Machine, a nossa plataforma white label para apps de entregas teve um crescimento de 40 vezes desde que lançamos nossa tecnologia em abril de 2020.

Como é desenvolvido um aplicativo de entregas via motoboy?

Assim como falamos dos aplicativos de transporte, a criação de um aplicativo de entregas é bem semelhante, ou seja, conta com um trabalho de uma equipe multidisciplinar que busca desenvolver uma tecnologia capaz de conectar motoboys e estabelecimentos comerciais.

Então as etapas são as mesmas:

  • Realizar levantamento de requisitos;
  • Mapear casos de uso;
  • Realizar estudo de mercado;
  • Avaliar tecnologias;
  • Testar, lançar e corrigir as falhas do aplicativo;
  • Avaliar os custos dos servidores e da manutenção.

Há no mercado, outras formas de criar um aplicativo de entregas para a sua empresa de motoboys, como adquirir um código fonte ou contratando uma equipe de programadores.

Mas no texto de hoje focaremos na maneira que é a nossa especialidade, contratando uma plataforma white label.

O que é uma plataforma white label de entregas?

Uma plataforma white label de entregas é um sistema licenciado por uma empresa de tecnologia para empresas de motoboys e entregas rápidas que desejam ter seu próprio aplicativo, com um sistema de gestão e painel de solicitação de pedidos para seus clientes.

Dessa forma, a empresa de motoboy não precisa fazer um alto investimento para contratar uma equipe de tecnologia própria, nem se preocupar com manutenção, contratação de serviços de mapas e armazenamento de dados.

Toda parte de tecnologia fica sob responsabilidade da empresa que licencia sua tecnologia.

Outra vantagem é que a empresa de entregas não precisa esperar um longo tempo para o desenvolvimento da plataforma. Como ela já está pré-pronta, basta os gestores personalizarem o sistema com sua logo, nome, tarifas e as funcionalidades que a empresa disponibilizar para os clientes.

Quanto custa criar um aplicativo de entregas?

A taxa de adesão de um aplicativo de entregas na Machine é de R$ 1.999 e as mensalidade variam de acordo com a quantidade de entregas solicitadas, mas custam a partir de R$ 499 por mês.

O preço varia, além das solicitações, de acordo com o plano escolhido pelo cliente.

Como vamos falar a seguir, a Machine conta com 3 diferentes planos.

*** Consultar valores com vendas
Corridas solicitadas incluem as canceladas e finalizadas;
Sujeito às regras de aprovação de crédito.

Plano Prata

No Plano Prata, as empresas de motoboys têm acesso a um sistema de mapas com precisão regular, suporte por e-mail e um gestor de pedidos para que os estabelecimentos solicitem uma entrega da frota quando precisar.

A taxa de adesão é de R$ 1999 e a mensalidade a partir de R$ 499.

Plano Ouro

No Plano Ouro, as empresas têm acesso aos mesmos benefícios do Plano Prata, mais uma precisão de mapas boa e suporte por telefone.

Além disso, a empresa desbloqueia as principais funcionalidades da Machine, como possibilidade de expandir o negócio via franquia, filial ou adição de cidades.

Outra vantagem é o multidestino, que é a possibilidade de adicionar até 9 entregas – em endereços diferentes – na mesma rota.

O sistema no Plano Ouro também permite a roteirização das entregas, que é criação do melhor roteiro para que o serviço ocorra no menor tempo possível.

Por fim, destacamos a integração com o iFood. Com essa funcionalidade, a empresa dos nossos clientes pode atender restaurantes, bares, mercados ou qualquer outro tipo de estabelecimento que vende pelo iFood, mas que deseja fazer as entregas com terceiros.

Assim que o estabelecimento confirmar a compra a entrega, ela é enviada automaticamente para os entregadores da frota.

No Plano Ouro a taxa de adesão é de R$ 1.999 e mensalidade a partir de R$ 599.

Nela também é possível adquirir uma plataforma multioperação, ou seja, contar com uma plataforma de entregas e transporte de passageiros.

Plano Diamante

No Plano Diamante, a empresa vai ter todas as funcionalidades que falamos anteriormente e ainda poder contar com uma precisão de mapas ótima e um gerente de contas, que é um profissional da Machine voltado para ajudar a impulsionar o negócio.

A taxa de adesão é de R$ 1.999 e a mensalidade a partir de R$ 999.

Quanto tempo demora para desenvolver um aplicativo de entregas?

Na Machine, os aplicativos de entregas ficam prontos em até 7 dias úteis.

Isso porque nossa tecnologia já está pronta, sendo necessário que o gestor apenas nos envie suas informações iniciais para que possamos personalizar o app com sua logo, nome e tarifas.

Como contratar uma plataforma white label?

A Plataforma White Label da Machine pode ser contratada no nosso site br.machine.global/tema-contrate.

Mas como a gente sempre avisa, você não sairá de lá já com seu app pronto para rodar.

Primeiramente, vamos te pedir para preencher um formulário de cadastro, para que possamos entender como podemos ajudar no seu projeto.

Vamos pedir informações de contato como e-mail e telefone, além de dados pessoais como seu nome, cidade/estado e outras coisas mais.

Preencha o formulário com muita atenção.

Ah, também vamos perguntar sobre seu investimento, mas não se preocupe, não tem nenhuma relação com a proposta que vamos fazer para você.

Funcionalidades do Módulo de Entregas da Machine

Quando falamos dos preços da plataforma, chegamos a comentar um pouquinho das principais funcionalidade do Módulo de Entregas.

A seguir, vamos destrinchá-las, mostrando mais um pouco de como funcionará o sistema da empresa de entregas dos nossos clientes.

Painel de Gestão de Pedidos

O Painel de Gestão de Pedidos é o lugar onde a mágica acontece.

É por lá que os estabelecimentos que os nossos clientes atendem solicitam o serviço da frota de entregadores e acompanham a entrega em tempo real.

Cadastro de empresas

No cadastro de empresas, nossos clientes liberaram acesso à plataforma aos estabelecimentos parceiros, para que eles possam solicitar o serviço da frota quando precisar e acompanhar a entrega em tempo real.

Categorias

Com as categorias, nossos clientes podem criar diferentes tipos de entrega, como com fiorino, carro de passeio e caminhão baú.

Para isso, é preciso adquirir o multimodal da Machine.

Tarifas

Com nosso sistema, as empresas de motoboy podem dizer adeus para as tabelas de preço.

O preço é gerado automaticamente com base nas tarifas que o gestor definiu.

Tempo para liberação do pedido

Ninguém gosta de esperar não é mesmo? No mercado das entregas nem se fala.

Para evitar que o motoboy tenha que ficar esperando até o pedido ficar pronto, é possível que o estabelecimento programe um tempo de agendamento antes de chamar o motoboy.

Dessa forma, o restaurante aguarda o pedido ficar pronto (ou quase) para solicitar o entregador).

Multidestino

No módulo de entregas da Machine, os estabelecimentos atendidos pelas empresas de entregas que usam a nossa tecnologia podem adicionar até 9 destinos de entrega na mesma rota.

Roteirização de pedidos

Ao mesmo tempo que possibilita inserir até 9 endereços de entrega, nossa tecnologia conta com um sistema de otimização de rotas, que calcula automaticamente como fazer o roteiro da entrega no menor tempo possível.

Solicitação rápida

Na solicitação rápida, os estabelecimentos atendidos pelos nossos clientes podem chamar o entregador apenas clicando um único botão.

Mas, dessa forma, eles precisam por contra própria passar as instruções para o motoboy.

Matriz e Filial

A partir do Plano Ouro da Machine, você consegue expandir seu negócio por meio de franquias e filiais, que são adquiridas direto com nossa equipe de suporte.

Integração com iFood

Você sabia que 70% das entregas do iFood são feitas por motoboys próprios do estabelecimento ou empresas de entregas rápidas?

É por isso que um sistema para empresas de motoboy precisa contar com integração com o iFood.

O principal aplicativo de delivery de comida do Brasil realiza mensalmente cerca de 45 milhões de entregas. Isso significa que há um mercado de mais de 30 milhões de entregas pelo Brasil (só gerado pelo iFood) para serem disputados pelas empresas de motoboy.

Na Machine, cada venda que sai de um estabelecimento parceiro do iFood, pode ser jogado automaticamente para um dos nossos clientes. Basta negociar diretamente com o restaurante.

O iFood trabalha com dois planos: básico e entregas.

No Plano Básico, o restaurante utiliza apenas o marketplace da empresa e realiza a entrega por contra própria.

Apenas no Plano Entregas que ele utiliza a frota dos entregadores do iFood.

Porém, o segundo plano é bem mais caro, podendo o iFood abocanhar 27% do valor do pedido. Por isso, muitos restaurantes preferem procurar empresas como as dos nossos clientes.

Bag para motoboy: onde comprar?

Amazon, Magazine Luiza e a Bag Brasil Mochilas são algumas opções de lojas que comercializam a bag para motoboy.

Os serviços dos motoboys são cada vez mais requisitados no mercado.

Novas oportunidades surgem constantemente, na medida que mais e mais estabelecimentos aderem às entregas.

Nesse contexto, se destacam os deliveries de comigo. Aplicativos como iFood, AiQfome, UberEats e Delivery Much contribuíram para que uma nova cultura de consumo de alimentos se estabelecesse.

Mais recentemente, a adição do delivery de compras de supermercado fortaleceu ainda mais esse braço do setor de entregas.

Em meio a isso tudo, é necessário que os motoboys estejam equipados adequadamente para proporcionar uma entrega de qualidade.

Por isso o uso de bags é cada vez mais recomendado para os motoboys, substituindo os antigos modelos de baús.

As bags são térmicas e permitem que o produto seja melhor conservado. Além disso, são mais versáteis que os baús, contando com compartimentos e podendo ser usadas como se fossem mochilas.

Opções de bags para motoboy

É possível adquirir uma bag por diversos meios.

Por exemplo, nos casos dos motoboys que atuam entregando diretamente para estabelecimentos e não necessitam de uma bolsa específica, diversos sites vendem bolsas simples e sem customização (como a da imagem).

Para as empresas de motoboy, uma alternativa excelente é adquirir uma bag neutra e personalizar com a marca e, principalmente, com as informações de contato da empresa.

Listamos abaixo algumas opções no mercado, usando as bags de 45L como padrão, já que são as mais populares:

Magazine Luiza

Na Magalu é possível encontrar modelos entre R$ 94,90 e R$ 107,01.

A diferença de valores ocorre pois o produto é vendido por terceiros e somente a entrega é de responsabilidade do marketplace.

Amazon

Na Amazon, os valores variam entre R$ 119,99 e R$ 129,99.

Assim como na Magalu, são produtos de outras empresas.

Americanas

Nas Americanas, outro marketplace, a maioria dos modelos fica na faixa de R$ 120,00.

Bag Brasil Mochilas

Diferentemente das três anteriores, a Bag Brasil Mochilas é uma empresa especializada na fabricação de bags, mochilas e isopores para delivery.

Em seu site podem ser encontradas bags para motoboys por R$ 99, com opção de customização.

Andrades Mochilas Delivery

Outra empresa especializada na venda de bags para entregadores é a Andrades.

No seu site as bags de 45 litros podem ser encontradas a partir de R$ 200. Além disso também há a opção de personalização da bolsa.

Bag para motoboy de aplicativo

Motoboys que entregam com prioridade para algum app específico, como o iFood, podem adquirir bags e jaquetas personalizados com a marca do aplicativo.

Esses itens não são obrigatórios, mas além de muito úteis, podem impactar na segurança e na qualidade do serviço, já que tornar os motoboys mais facilmente identificáveis.

Esses itens normalmente são comercializados aos entregadores parceiros por meio da sessão do site destinada aos entregadores. No caso do iFood a venda é feita por meio da Loja do Entregador.

Ainda se tratando do Ifood, em alguns casos é possível obter gratuitamente a bag. Para isso é necessário um convite para eventos especiais que acontecem mais de uma vez por ano, e envolvem alguns entregadores convidados pela plataforma.

O convite é enviado por SMS para entregadores que usam o app com frequência e concluem muitas entregas com sucesso.

No caso dos aplicativos como o Delivery Much e o AiQfome, também é possível adquirir a bag para motoboy junto ao city manager, o “franqueado” responsável pelas operações do app na cidade.

Onde criar um aplicativo de entregas via motoboy?

A Machine é uma plataforma que além de desenvolver apps de mobilidade, também tem uma tecnologia voltada para os empresários que querem criar um aplicativo de entregas via motoboy.

Publicado em 20/04/2020 – Atualizado em 15/07/2021

Por muito tempo, a tecnologia de desenvolvimento de aplicativos se manteve inacessível para muitos empreendedores.

No entanto, essa tendência começou a mudar com a aparição de tecnologias mais próximas à realidade de investimento dessas pessoas.

Assim, criar um app não é mais um sonho distante. Mas sim, uma possibilidade para empresários do setor de transporte e entregas modernizarem as suas frotas.

Um exemplo disso são as empresas e grupos de motoboys que realizam serviços de entregas nas cidades brasileiras.

Há alguns meses, publicamos no blog números sobre o mercado de entregas no Brasil e no mundo.

Relembramos uma matéria da Folha de São Paulo publicada em 1998. Ela tratava do crescimento dos serviços de entrega via motoboy.

À época, a matéria apontava os avanços que esse mercado havia tido, realizando entregas não apenas de pizzarias, mas de todo tipo de mercadoria.

Assim, as empresas de motoboys expandiram seus serviços. Segundo a Folha, na época, o preço cobrado por essas empresas variava de R$1.250 a R$1.325 por moto dentro da capital paulista.

Os motoboys ficavam disponíveis das 8h às 17h30. Individualmente, a hora de um motoboy tercerizado custava em média R$8,50.

Pouco mais de vinte anos depois, a situação mudou. Atualmente, as empresas de motoboy precisam se adaptar à nova realidade impulsionada por apps como a Loggi, uma startup brasileira que já passou de um bilhão de dólares em valor de mercado.

Por isso, o desafio dessas empresas é encontrar desenvolvedores capazes de criarem seus próprios apps. De preferência, oferecendo uma boa tecnologia, suporte e com um preço adequado à sua realidade.

Como ter um aplicativo de entregas via motoboy?

Para as empresas de motoboys e entregas rápidas que desejam parar de perder clientes para as grandes plataformas ou para empreendedores que desejam entrar nesse mercado, a melhor alternativa é contratar uma plataforma white label.

Uma plataforma white label é um sistema que uma empresa de tecnologia licencia para um determinado grupo empresarial lançar um negócio.

Então quando falamos de uma plataforma white label para empresas de motoboys e entregas, estamos falando de um sistema que vem com um aplicativo para entregadores pré-pronto, com algumas personalizações, e dois painéis, um de gestão e o outro de solicitação de entregas.

No painel de gestão, a empresa vai cadastrar os entregadores, definir as tarifas, cadastrar os estabelecimentos parceiros, ativar as funcionalidades disponibilizadas pela empresa de tecnologia e muitos mais.

Já no painel de solicitação de entregas, o estabelecimento atendido por essa empresa, e aqui falo dos restaurantes, e-commerces e lojas em geral, vão solicitar as entregas quando sair uma venda. Além disso, vão acompanhar em tempo real real o deslocamento do entregador até a casa do cliente, podendo intervir em caso de problemas.

Falamos que essa é a melhor forma para ter um aplicativo de entregas via motoboy, pois a empresa pode focar – tanto seu investimento e atenção – no atendimento e atração de clientes e entregadores.

Toda a parte tecnológica, como contratação de programadores, custo de servidores para armazenamento de banco de dados e serviços de geolocalização, fica sob responsabilidade da plataforma.

Quanto custa criar um aplicativo de entregas via motoboy?

Aqui na Machine, a taxa de adesão de um aplicativo de entregas via motoboy é de R$ 1.999, com uma mensalidade que varia de acordo com a quantidade de solicitações que a empresa tiver no mês.

Por aqui, trabalhamos com três tipos de planos.

*** Consultar valores com vendas
Corridas solicitadas incluem as canceladas e finalizadas;
Sujeito às regras de aprovação de crédito.

Plano Prata

No Plano Prata, a empresa de entregas tem acesso a uma plataforma com precisão de mapas regular, gestor de pedidos de entrega e suporte da Machine por e-mail.

A taxa de adesão é de R$ 1.999 e a mensalidade a partir de R$ 499.

Plano Ouro

No Plano Ouro, o mais recomendado para as empresas de entregas, o sistema vem com uma precisão de mapas boa, suporte da Machine por telefone, possibilidade de expandir o seu negócio por meio de franquias e filiais, sem falar do voucher eletrônico.

Além disso, as empresas no Plano Ouro usufruem de um sistema capaz de despachar pedidos para até 9 destinos na mesma rota e criar automaticamente o melhor roteiro para a entrega.

A integração com o iFood, que permite que os estabelecimentos vendam pelo iFood e realizem as entregas automaticamente com os nossos clientes, também está disponível a partir do Plano Ouro.

A taxa de adesão também é de R$ 1.999 e a mensalidade a partir de R$ 599.

Plano Diamante

O Plano Diamante vai ter todas as funcionalidade dos planos Ouro e Prata, além da melhor precisão de mapas e de um gerente de contas, que é um profissional da nossa equipe que vai auxiliar o seu negócio.

A taxa de adesão é de R$ 1.999 e a mensalidade a partir de R$ 999.

Um pouco sobre a Machine

A Machine é uma ferramenta que permite que empreendedores de todo o Brasil tenham seus próprios aplicativos de entregas ou de transporte.

Na área de transporte, somos a maior desenvolvedora de aplicativos do país. Possuímos centenas de clientes que, juntos, disparam milhões de corridas todos os meses.

Desde abril de 2020, a plataforma também foi habilitada para realizar entregas de produtos, gerando uma nova possibilidade de negócio para atuais clientes e para empresas de motoboys que desejam modernizar seu serviço.

A responsável pela ferramente é a Gaudium, empresa brasileira de tecnologia criada pelo cientista da computação Bruno Muniz e pelo engenheiro Ricardo Góes.

Diálogo: uma das empresas que entregam para a Amazon no Brasil

A Diálogo Logística Inteligente ou só Diálogo, como é mais conhecida, é uma empresa de entregas de última milha, que é parceira da Amazon.

É impossível falar de e-commerce sem se atentar ao grande esforço logístico realizado pelas empresas do ramo.

Os grandes negócios das vendas online compreenderam que o processo da entrega também faz parte da experiência de compra do cliente, e por isso deve ser realizado com o máximo de qualidade e agilidade.

A Amazon, um dos maiores e-commerces do mundo, conhece como poucos a importância da entrega e por isso investe constantemente em soluções para otimizar o processo.

O maior nome das vendas online passou por um crescimento sem precedentes no último ano. Alcançando o incrível resultado de 100 bilhões em vendas no primeiro trimestre de 2021.

Para garantir a distribuição dos produtos ela trabalha com startups, transportadoras e empresas de entrega para aumentar a variedade dos centros de distribuição e, assim, conseguir alcançar um público maior, em menor tempo.

Uma dessas empresas que atuam em conjunto a Amazon no Brasil é a Diálogo.

Quem é a Diálogo?

A Diálogo Logística Inteligente ou só Diálogo, como é mais conhecida, é uma empresa de entregas de última milha, ou seja, a parte que abrange a saída do produto do estabelecimento ou centro de distribuição, até a chegada ao cliente final.

Criada em 2015, a empresa se desenvolveu em torno da experiência de seus três fundadores, que eram profissionais com formação e 20 anos de experiência de mercado no setor de logística.

Em 2020 a Diálogo foi comprada pelo Grupo BBM, um dos maiores operadores logísticos do Mercosul.

A aquisição da Diálogo representou um importante passo para o Grupo BBM, que antes era focado nas etapas de transporte iniciais, agora possui um braço de atuação na última milha.

Com isso, o BBM passou a executar uma logística end-to-end, atuando desde o transporte de matérias primas até o transporte da mercadoria final.

A posição que a Diálogo ocupa dentro do Grupo, é refletida na sua forma de serviço: a empresa trabalha exclusivamente na entrega de encomendas de pequeno porte (até 10kg).

Esse modelo tornou os serviços da Diálogo muito atrativo não somente para a Amazon, mas para outras grandes marcas como:

  • Carrefour
  • C&A
  • Electrolux
  • Magazine Luiza
  • Natura
  • Netshoes
  • ViaVarejo
  • Renner

No total a Diálogo atende mais de 30 empresas de diversos ramos diferentes.

Sucesso nos números

Com 65 filiais realizando serviços de coleta e entregas, a Diálogo realiza transporte de 1 milhão de volumes por mês, em 2000 municípios do Brasil, com destaque para a atuação na Região Sul do país.

As regiões de atuação citadas nominalmente na hora do cadastro são:

  • Porto Alegre e Região Metropolitana;
  • Florianópolis e Região Metropolitana;
  • Curitiba e Região Metropolitana;
  • Goiânia e Região Metropolitana;
  • Brasília e Região Metropolitana;
  • Belo Horizonte e Região Metropolitana;
  • Sorocaba e Região Metropolitana;
  • Sorocaba e Região Metropolitana;
  • Bauru e Região Metropolitana;
  • Ribeirão Preto e Região Metropolitana.

Serviços oferecidos pela Diálogo

Parte do sucesso da Diálogo se deve à prestação de diversos serviços úteis a empresas de setores diversos. A atuação em diferentes etapas da logística torna as atividades da empresa acessíveis a variados grupos.

Entrega Standard

É o serviço de entregas padrão do mercado.

Same Day Delivery

A empresa realiza Same Day Delivery, entregas que são realizadas no mesmo dia da efetuação da compra, expandindo essa proposta para além de gêneros alimentícios.

Logística Reversa

Realizam a Logística Reversa, que visa coletar os produtos que precisam retornar às empresas em casos de devoluções e trocas. 

Entrega Expressa

As entregas expressas são para aqueles clientes que possuem urgência em receber seus produtos. Entregas expressas ocorrem em 48h para as capitais, regiões metropolitanas e cidades-pólo. 

Omnichannel

No modelo omnichannel, ou de canais unificados em tradução livre, a logística da Diálogo é responsável por realizar a entrega no formato que o cliente deseja. Retirada na loja, de estabelecimento para estabelecimento e envio direto da loja são algumas opções oferecidas.

Operação Sellers

Opção voltada para sites e aplicativos de marketplace, que permite integrar os diversos estabelecimentos cadastrados à logística de entregas.

Como fazer entregas para a Diálogo?

A Diálogo conta com um aplicativo em que os entregadores poder se cadastram e organizam suas entregas. O app Diálogo Logística (Entregador), está disponível para celulares Android na Play Store.

A empresa agrega carros de passeio, motos e utilitários. É necessário possuir cadastro como MEI e o registro de Atividade Remunerada junto a CNH.

A autonomia dos entregadores permite que construam seu horário e consequentemente seus próprios lucros. A empresa disponibiliza pedidos para a Amazon de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Como motoboy pode emitir nota fiscal?

Motoboy registrado como MEI pode emitir nota fiscal por meio de programas que automatizam todo o processo.

Nunca antes motoboys foram tão requisitados como agora.

Cada vez mais aplicativos, empresas e organizações recorrem aos serviços desses profissionais.

Esses serviços não são novidade no Brasil. Os motoboys sempre estiveram presentes e tiveram grande aceitação entre a população do país, por serem capazes de chegar mais rápido e ainda alcançarem lugares de difícil acesso.

A questão é que antes o grau de profissionalização da classe era baixo. Na verdade, em muitos casos os motoboys e mototaxistas atuavam nas margens da legalidade.

A situação foi se alterando conforme esses serviços se tornavam ainda mais populares e o Governo passava a prestar mais atenção nos trabalhos e nas reivindicações da classe.

Principalmente a partir da segunda década dos anos 2000, foram criadas muitas medidas para aumentar a segurança e o grau de profissionalização dos motoboys.

Motoboys e nota fiscal

Uma das medidas que eleva as condições de profissionalização dos motoboys é a possibilidade de emitir comprovantes e recibos de serviço, as conhecidas notas fiscais.

Por mais que atualmente, na maioria dos casos, os motociclistas profissionais trabalhem por meio de aplicativos de entregas ou transporte, não são incomuns os casos em que eles realizam corridas extras e viagens por fora dos apps.

Nesses casos, dependendo do serviço, pode ser requisitado um motoboy que emita nota fiscal.

A conclusão que podemos é que motoboys habilitados a tirar notas fiscais têm mais possibilidades de serviços no mercado, e consequentemente, maiores condições de gerar renda.

Como um motoboy pode emitir nota fiscal?

O primeiro ponto para aqueles que querem ser capazes de emitir as NFs é tirar o CNPJ, o CPF das empresas.

A realização desse processo pode ser atrasada por burocracias, por isso a alternativa é que o motoboy se cadastre como Microempreendedor Individual (MEI), categoria que garante respaldo governamental sobre algumas atividades.

Muitas vezes o motoboy já vai até possuir o MEI, já que é uma exigência para atuar em muitos aplicativos.

Os Microempreendedores que realizam atividades ou vendas diretamente para outras pessoas não possuem a obrigação de emitir nota fiscal para pessoas físicas, mas como já mostramos, eles podem vir a realizar serviços para empresas.

Para emitir a nota basta seguir alguns passos:

  • Para emitir o documento, o profissional pode utilizar o software gratuito, oferecido pelo Governo ou recorrer a programas privados. A função desses programas é automatizar a emissão das notas.
  • É necessário ter um certificado digital, ferramenta de assinatura virtual que garante a segurança de dados online.
  • É preciso também ser cadastrado no órgão municipal responsável pela emissão de notas, geralmente a Secretaria da Fazenda.

Caso esses processos já tenham sido realizados alguma vez, o motoboy pode emitir nota fiscal apenas acessando o software e preenchendo as informações referentes ao serviço prestado.

As notas serão geradas no formato certo e encaminhadas à Receita Federal, que realiza o controle sobre a arrecadação no país.